Google Fiber chegará ao Texas

SÃO PAULO – A capital do Texas, nos Estados Unidos, será a próxima cidade a receber a internet ultrarrápida do Google. A empresa anunciou na terça-feira, 9, que seu serviço de banda larga de 1 Gigabit por segundo (Gps), chamado Google Fiber, começa a funcionar em Austin até meados de 2014.

Essa velocidade de conexão é mais de 100 vezes mais rápida que a oferecida atualmente nos Estados Unidos ou 500 vezes mais veloz que a disponível no Brasil. Segundo a empresa Akamai, que mede as velocidades de conexão em vários países todo trimestre, a média brasileira é de 2,2 Mbps.

Além da banda larga, a empresa vai vender em Austin seu serviço de TV a cabo, que tem cerca de 200 canais em alta definição (HD). Os preços, segundo o Google, devem ser compatíveis com os cobrados em Kansas City. Lá paga-se US$ 70 pela internet e US$ 120 pela internet mais a TV. Há a possibilidade ainda de contratar uma internet mais lenta pagando US$ 300 pela instalação.

Sem especificar valores, a operadora de telefonia AT&T também anunciou ontem que está preparada para construir uma infraestrutura de fibra óptica em Austin capaz de entregar internet de 1Gbps.

‘Pradaria do Sílicio’.

Em razão da conexão super-rápida do Google, a cidade de Kansas tornou-se um ambiente interessante para muitas empresas em estágio inicial (startups) que fazem uso intensivo da internet. Há empreendedores, aliás, que se mudaram para lá apenas para criar suas próprias companhias de tecnologia. Isso fez a região ganhar o apelido de “Pradaria do Silício”, em alusão ao Vale do Silício, na Califórnia, onde estão as empresas de internet mais famosas do mundo e várias emergentes.

No mercado de tecnologia e serviços, acredita-se que o Google Fiber obrigará empresas que vendem banda larga a oferecer mais velocidade aos clientes. E isso, como explicou a matéria “Fora do Eixo”, publicada no ‘Link’ em fevereiro, propiciará ao Google mais oportunidade para atrair tráfego e vender mais publicidade – a principal fonte de renda do Google.

Assista ao vídeo que anuncia o serviço:

Fonte: estadao

Compartilhe