iTunes faz 10 anos na liderança do mercado de música online

São Paulo – “Temos a melhor loja de música do mundo”. Era assim que Steve Jobs, cofundador e ex-CEO da Apple descrevia o iTunes, serviço online que comemora nesta quarta-feira uma década de existência.

Mas além do aniversário, a loja virtual tem marcas importantes para serem celebradas: em janeiro de 2013, iTunes marcou 25 bilhões de músicas vendidas e a App Store registrou 40 bilhões de apps baixados.

Lançado no dia 23 de abril de 2003 e oficialmente no Brasil desde 2011, o iTunes inaugurou suas atividades com 200 mil músicas a apenas 0,99 dólar. Na ocasião, a música mais vendida foi o hit “Stuck in a Moment”, da banda irlandesa U2. Já o álbum mais popular foi o “Sea Change”, do cantor americano Beck. Na mesma data, a Apple introduziu ao mercado a terceira geração do iPod, um dos seus produtos mais inovadores.

Ao longo dos anos, o iTunes foi sendo expandido e levado a um número cada vez maior de países. Os primeiros a receberem o serviço foram a Alemanha, Reino Unido e França, no dia 15 de junho de 2004. Na data, o título de música mais vendida nos três países ficou com “Bam Thwork”, de uma das maiores bandas da cena independente mundial, os americanos do Pixies. Ainda naquele ano, a loja virtual chega a outros nove países.

O ano de 2007 ficou marcado como o ano em que a Apple lançou o primeiro iPhone e no qual o iTunes atingiu marcas incríveis, não apenas em músicas. Oferecendo filmes e seriados desde 2006, o serviço registrou o download de 1,3 bilhões de longas e 50 milhões de episódios.

Em uma entrevista concedida na ocasião do lançamento do serviço nos Estados Unidos, Steve Jobs parecia ter certeza de que o iTunes iria, de fato, se consolidar. “Porque você acha que as pessoas realmente vão pagar por músicas que conseguem de graça na internet?”, questionou o jornalista Miles O’Brian, da CNN.

“Bom, é o que vamos descobrir”, brincou o então CEO da maçã. “Mas conseguimos convencer as cinco maiores gravadoras do mundo a embarcarem nessa. E ninguém nunca fez algo parecido”, pontuou Jobs.

E ao que tudo indica, o que nasceu de uma aposta da Apple para tentar reinventar a maneira como as pessoas consomem música, evitando vias ilegais tomadas por serviços como KazAa e Napster, se transformou em uma gigante e consagrada loja virtual.

Um desafio que terá de ser superado pelo serviço nos próximos anos é o crescimento dos sites que oferecem streaming de música, como Spotify e Deezer, por exemplo. Uma saída que, estaria sendo estudada pela Apple seria o lançamento de um serviço para chamar de seu. Segundo rumores, a maçã estaria em vias de anunciar o iRadio, como o produto vem sendo chamado, e que supriria esta demanda.

Fonte: info

Compartilhe