Veja quais são as 7 mais famosas celebrações de Ano-Novo do planeta

Talvez você não possa estar em algum desses lugares na virada de ano, mas é sempre bom planejar futuras viagens, não é mesmo?

Quando chega o tão esperado dia 31, a melhor coisa é estar ao lado da família, dos amigos e celebrar, não é mesmo? Essa parece ser uma tradição internacional e, como qualquer outra festa, há sempre aqueles lugares que conseguem se destacar com suas grandes comemorações. Saiba quais são algumas das comemorações mais famosas de Ano-Novo a seguir e depois nos conte qual destes lugares é o seu favorito para passar a noite mais esperada do ano:

1 – Nova York

A passagem de ano em Nova York é grandiosa, principalmente se você estiver na Times Square e puder conferir de perto a queda da famosa bola iluminada quando chega a meia-noite. Esse costume teve início em 1907, quando a icônica esfera de mais de 5 toneladas foi derrubada pela primeira vez.

A festa da Times Square reúne anualmente mais de 1 milhão de pessoas nas ruas e é transmitida em diversas partes do mundo. Os participantes podem ainda usar a parede dos desejos para anotar alguns pedidos e, claro, conferir as maravilhas do show pirotécnico.

Para quem prefere um ambiente com menos muvuca, a dica é procurar algum cruzeiro na região ou ficar em um bom lugar nos restaurantes próximos.

2 – Londres

Se você está perdido em algum canto da Europa sem saber o que vai fazer da vida na virada de ano, sorria: isso, por si só, já parece bastante divertido. Mas se você quiser conferir um verdadeiro espetáculo é só pegar o primeiro avião com destino a Londres, na charmosa Inglaterra.

Em terra de rainha, toda pompa é bem-vinda, e quem estiver por lá vai poder fazer a contagem regressiva com o Big Ben, acompanhando os fogos da gigante London Eye. É possível ficar nessa comemoração de rua até 00h45, depois é só encontrar algum pub bacana e curtir a noite inglesa.

3 – Sidney

Mesmo com Nova York e Londres no topo da lista há quem acredite que Sidney é o lugar com a melhor virada de ano do mundo. A vista da Ponte Harbour é a responsável por atrair verdadeiras multidões às ruas, sendo que na cidade é permitido consumir bebidas alcoólicas na rua, enquanto em Nova York e em Londres isso é proibido.

4 – Viena

A capital da Áustria atrai milhares de pessoas que gostam de conferir as mudanças de decoração: o clima deixa de ser natalino e passa a ter tudo a ver com a noite de réveillon. Os fogos de artifício só vão deixar tudo ainda mais bonito e depois você pode escolher se quer ir para alguma balada ou, quem sabe, um baile de gala. O fato é que lá você não fica sem planos.

5 – Rio de Janeiro

Você já sabe que a capital carioca tem a festa mais famosa do Brasil e uma das mais famosas do mundo, não é mesmo? Isso tudo porque são vários shows à beira da praia, seguidos de uma contagem regressiva alucinante em meio a milhões de pessoas. E tudo isso sem precisar sair do país, caso você não queira usar o dinheiro da sua poupança agora.

Ipanema, Praia da Barra, Copacabana: não importa onde você estará. Você com certeza vai se admirar com o show de fogos da Cidade Maravilhosa. É quase o tipo de coisa que todo mundo deveria fazer pelo menos uma vez na vida.

6 – Dubai

Agora se você está com dinheiro sobrando, que tal dar um pulinho em Dubai e conferir um jeitinho milionário de celebrar a virada de ano? Tudo o que você vai ver lá será suficiente para saciar sua sede de luxo e grandiosidade. Se você puder bancar todo esse glamour, vai ficar encantado com a quantidade de hotéis e festas disponíveis em Dubai. É só chegar. Com dinheiro.

7 – Barcelona

A cidade espanhola já é conhecida como uma das mais badaladas do mundo, tanto no sentido cultural quanto no de festas mesmo. Se você estiver por lá vai poder ver uma linda festa com muitos fogos de artifício, em vários cantos da cidade, sem muitos lugares combinados ou específicos, mas não custa dar uma passada na Praça das Glórias e conferir a beleza da Torre Agbar.

Fonte: megacurioso

Compartilhe

As 10 séries mais pirateadas de 2013

Como todo ano sai a pesquisa de qual série foi mais pirateada nas interwebs, e quase como sempre, a campeã é da HBO. Em 2013 foi Game of Thrones, com 5,9 milhões de downloads de seu último episódio. Só que também, como sempre, não é tão simples assim.

Veja a tabela publicada pela Variety,com dados do Torrent Freak:

Há uma semelhança entre a 1ª e a 10ª séries, ambas são de canais a cabo com audiência restrita. Tanto a HBO quando a CW estão longe de ser “mídia de massa”, mas são canais com profundo apelo ao público geek. Por outro lado séries mais populares, como Breaking Bad e Walking Dead tem uma audiência televisiva muito significativa.

Big Bang Theory virou alvo de ódio entre geeks antenados hipsters que entendem muito mais do que você sobre televisão, então mesmo estando em 4º lugar, sua representatividade junto a espectadores convencionais é muito maior.

Note que há uma ausência significativa. House of Cards. A série da Netflix teve uma repercussão imensa, ganhou prêmios pra tudo que é lado e virou uma paródia sensacional no Jantar dos Correspondentes de Imprensa da Casa Branca, com participação de figurões de ambos os partidos:



COOOOOOMO algo assim não surge entre os seriados mais baixados?

Simples: do mesmo jeito que o Chrome não aparece entre os browsers mais pirateados.

A Netflix quebrou o paradigma na porrada, montou seu modelo de negócios, começou a produzir conteúdo próprio e obrou e andou pras métricas da velha mídia. Ela está se lixando pro número de telespectadores de House of Cards comparado ao número de espectadores de séries de emissoras convencionais.

Interessa o quanto os usuários acessem House of Cards, a fidelização que isso gere, e comparado aos programas requentados de sempre (eu sempre digo, sem NENHUM pingo de crítica, que a Netflix não é o cinema do shopping, é a locadora do bairro) o buzz que a série gera.

Portanto House of Cards NÃO aparecer entre os programas mais pirateados indica que o modelo da Netflix funciona e que quem quer assistir House of Cards, assiste… pela Netflix.

O resto, tipo Homeland, que tem mais gente assistindo online do que pelo canal convencional, ainda não percebeu que regular a distribuição não é bom para ninguém, e que quando o espectador quer realmente um conteúdo, ele vai atrás. Se for conveniente, cômodo e com carinho, como a Netflix, ele vai assinar. Se não for, vai na locadora do Paulo Coelho, mas ficar sem assistir, ele não vai, por mais que o Hulu adore enfiar aquele filtro babaca dizendo “esse streaming não é acessível fora dos EUA”.

Fonte: meiobit

Compartilhe

OpenLaunchd: desenvolvedores ligados ao FreeBSD pretendem portar para sistemas não-Darwin o init da Apple

Launchd é o sistema open source unificado da Apple para gerenciar a inicialização, interrupção e administração de daemons, aplicativos, processos e scripts, substituindo no OS X e iOS os subsistemas tradicionais init, inetd, cron, at e watchdog.

Buscando reduzir o tempo de boot e modernizar o gerenciamento de tarefas nos níveis do usuário e do sistema, há tempos os desenvolvedores do FreeBSD têm interesse em portar o sistema, que está em uso pela Apple desde o OS X Tiger, e tem seu código disponível sob a licença Apache. Já houve iniciativas em 2005 (via Google Summer of Code) e em 2008, mas não chegaram a concluir a tarefa.

Agora, com o OpenLaunchD, a tarefa reinicia, e o objetivo declarado inclui permitir que ele possa ser usado no Linux também. Desejo sucesso! (via www.phoronix.com – “[Phoronix] Apple’s OS X Launchd Being Ported To FreeBSD”)

Fonte: br-linux

Compartilhe

Disponível gratuitamente o módulo de etiquetas para a plataforma magento

A equipe Gamuza tem o prazer de disponibilizar gratuitamente a mais nova versão do módulo de etiquetas para a plataforma Magento. Com ele você tem a opção de imprimir etiquetas personalizadas em sua loja virtual e mais.

Com o módulo de etiquetas da Gamuza, você pode gerar etiquetas de forma simples e personalizada de acordo com os padrões estabelecidos pelos Correios e utilizá-las em suas encomendas. Você pode também consultar a quantidade de etiquetas disponíveis no momento de sua criação, e ter um controle do que está sendo utilizado.

Cadastre rapidamente os ranges enviados pelos Correios e obtenha automaticamente os códigos de rastreios prontos para serem utilizados em suas etiquetas com código de barras.

Imprima os seus relatórios e crie as entregas para os seus pedidos com os códigos de rastreios já atribuídos com apenas um clique. Gerencie todas as suas informações usando um painel administrativo descomplicado.

Turbine a sua loja virtual com o nosso módulo de etiquetas!

Os arquivos do módulo estão disponíveis no site do projeto. Dúvidas ou sugestões podem ser postadas no Gamuza Fórum.

Compartilhe

Nuvem da Amazon Web Services tem problema de conectividade em SP

Algumas empresas que hospedam sites no data center paulista da companhia afirmam que estão fora do ar. AWS confirma instabilidade do serviço em painel de suporte na sua homepage.

Empresas que hospedam sites na nuvem da Amazon Web Services (AWS), em data centers em São Paulo, informam que estão fora do ar há mais de três horas. O mapa de suporte exibido no site da prestadora de serviços confirma que a companhia está com problemas de disponibilidade no mercado paulista.

Em seu site, na seção de saúde sobre os serviços da região da América do Sul, a AWS exibe mensagens de problemas em três serviços prestados pelos data centers de São Paulo que são os seguintes:

1- Amazon Elastic Compute Cloud (São Paulo) – Instâncias indisponíveis em uma única Zona de disponibilidade.

2- Equilibrar Amazonb Elastic Load (São Paulo) – Problemas de conectividade em uma única Zona de disponibilidade.

3- Amazon Relational Database Service (São Paulo) – Problemas de conectividade em uma única Zona de disponibilidade.

A Amazon ainda não fez nenhum comunicado sobre a ocorrência nem as causas da indisponibilidade.

Também ainda não se sabe quantos sites e empresas brasileiras que contratam os serviços no Brasil estão fora do ar e que tiveram operações prejudicados pela ocorrência.

Fonte: computerworld

Compartilhe

Download do SteamOS (beta) está disponível – sistema é baseado no Debian Wheezy

E a empresa adverte: é beta, não é produto final e nem está adequado a usuários finais. Além disso, os usuários não devem considerá-lo um substituto para seu sistema operacional desktop, já que o SteamOS é projetado e otimizado para o uso na sala de TV.

E ele não é integralmente open source, também: os componentes proprietários incluem o cliente Steam (que por default vem definido como sendo a interface com o usuário) e drivers fornecidos por terceiros. Mas os fontes do que é open source estão disponíveis.

Atualização: no momento o SteamOS só é compatível com placas gráficas NVidia. A compatibilidade com placas gráficas AMD e Intel está em andamento.

Fonte: br-linux

Compartilhe

Vapor: Distribuição SteamOS será disponibilizada para download amanhã

A Valve anunciou que os 300 exemplares das suas Steam Machines e dos seus Steam Controllers começam a ser enviados nesta sexta-feira 13 aos usuários selecionados entre os que se candidataram a participar dos testes.

Ao contrário do que anunciou originalmente, eles não foram escolhidos mundialmente, e a seleção se limitou aos que se inscreveram a partir dos EUA. A empresa informa que essa decisão foi tomada em razão de barreiras regulatórias.

Na mesma data em que começarem a ser enviados os protótipos, o SteamOS será disponibilizado para download aos usuários e empresas interessados. Mas a Valve sugere que os usuários em geral aguardem até 2014 para fazer o download de uma versão posterior, pois a que será disponibilizada agora é voltada a hackers intrépidos. (via steamcommunity.com – “Comunidade Steam :: Grupo :: Steam Universe”)

Fonte: br-linux

Compartilhe

Depois do Android, Google e Andy Rubin querem dar vida a robôs humanoides de verdade

Enquanto a Amazon está estudando como fará para utilizar drones voadores em suas entregas (isto é, se a FAA deixar), outros preferem dar à robótica ares mais humanos. Temos a Boston Dynamics, que já apresentou avanços consideráveis com o PETMAN e o Atlas, e até pouco tempo atrás tínhamos a Dra. Kanako Miura, que nos deixou de uma forma trágica.

Outra empresa que está se enveredando na área da robótica é sem muita surpresa o Google, ou para ser mais preciso o pai do Android, Andy Rubin. Ele já havia se afastado do comando do sistema operacional que criou no começo deste ano, e boatos começaram a circular que ele o fez para se dedicar à androides de verdade, uma de suas paixões. Agora a empresa resolveu investir nessa área, ao revelar que adquiriu sete empresas de pesquisa com robôs e Rubin foi colocado à frente do projeto de desenvolver autômatos.

Rubin disse em entrevista ao The New York Times ao revelar o projeto que “este é o melhor trabalho do mundo” e que ele, na posição de um entusiasta de robôs e com o costume de transformar seus hobbies em uma carreira receber tal projeto é um presente, no alto de seus 50 anos. Sem entrar em detalhes, ele disse que o plano visa um cenário robotizado para daqui a 10 anos e que o foco é obviamente nas indústrias, principalmente no processo de manufatura de equipamentos eletrônicos, ainda estritamente manual dada a complexidade dos dispositivos.

Entretanto há alguns detalhes interessantes nessa história. As empresas adquiridas pelo Google são conhecidas por desenvolver robôs humanoides e braços robóticos. Especialista acreditam que o Google pretende introduzir um plano de automatização refinada nas empresa, em concordância com o pensamento do CEO Larry Page em libertar o homem de tarefas repetitivas através da tecnologia.

Para Rubin, voltar a trabalhar com robôs é um sonho. Ele começou a carreira como engenheiro robótico na Carl Zeiss e posteriormente fundou a Android Inc., a empresa onde ele desenvolveu seu SO, e obviamente o nome não foi escolhido por acaso.

De minha parte acho a iniciativa maneira, já que o estudo atual de robôs mais parecidos com humanos tropeça e se estabaca na realidade. Por outro lado, caso o Google e Rubin sejam bem sucedidos nessa empreitada, teremos mais 10 anos até a empresa mudar de nome para Cyberdyne.

Fonte: meiobit

Compartilhe

Veja uma foto incrível de Morgan Freeman criada com o iPad!

O iPad é um objeto de desejo que não precisa necessariamente ser utilizado apenas para tarefas básicas como navegar na internet, digitar textos ou assistir a filmes. Em resumo, talvez muita gente não conheça a arte escondida nos confins do aparelho. Não é o caso de Kyle Lambert, artista britânico que usou e abusou das ferramentas de pintura digital do tablet e, pasmem, criou verdadeiras obras atemporais de algumas figuras célebres.

Talvez você pense que a imagem acima seja uma foto de Morgan Freeman, por exemplo. Mas não: trata-se de uma pintura. Fake? De jeito nenhum! Por meio do app Procreate, Lambert gastou mais de 200 horas e deu mais de 285 mil “pinceladas” para criar a imagem, processo documentado e comprovado no vídeo abaixo:



O artista usou apenas um iPad Air, o app Procreate e um dedo para criar o impressionante retrato fotorrealista. Após o primeiro minuto do vídeo que você confere acima, as coisas começam a ficar complexas – e o talento de Lambert para domar essa dificuldade é realmente incrível.

Fonte: tecmundo
Compartilhe

Black Friday acaba com lucro recorde e grande número de reclamações

Mais uma Black Friday passou e, como bem evidenciou toda a mobilização dos consumidores ávidos por comprar nas lojas físicas e virtuais, o evento veio mesmo para ficar. Bom para quem curte gastar as economias de fim de ano e também para o comércio como um todo.

Isso porque mesmo com tantas reclamações sobre fraude e problemas de infraestrutura nas lojas, o E-bit apontava que somente as lojas online deveriam passar dos 390 milhões de reais de lucro somente no dia de ontem.

O Procon está de olho

Contudo, como já era de se esperar, nem tudo são flores. Segundo uma publicação do Procon de São Paulo, apesar de ter sido percebida uma grande evolução com relação ao evento em 2012, houveram, sim, várias queixas de consumidores – e elas deverão ser investigadas.

O órgão afirma que 87 queixas foram compartilhadas pelos consumidores por meio da hashtag #deolhonaBlackFriday. A ideia era facilitar a pulverização de reclamações sobre sites e, de quebra, ajudar o Procon na identificação de lojas que estivessem agindo de má fé.

A postagem cita que todos os problemas relatados pelos consumidores, especialmente a “maquiagem de desconto”, serão investigados. De acordo com o Procon, “se comprovadas as infrações ao Código de Proteção e Defesa do Consumidor, além da aplicação das penalidades nele previstas, o resultado do trabalho será encaminhado ao Ministério Público do Estado de São Paulo para a apuração dos crimes previstos nos artigos 66 (oferta enganosa) e 67 (publicidade enganosa) do Código”.

Reclame Aqui: dia movimentado no site

O site Reclame Aqui registrou ainda mais reclamações durante a última sexta-feira. Segundo o próprio site, em aproximadamente 18 horas de promoção, houve cerca de 5,6 mil protestos de  consumidores insatisfeitos com as mais diversas lojas online. O site destacou, ainda, as páginas que tiveram mais reclamações:

  • Extra
  • Fast shop
  • Ponto frio
  • Submarino
  • Saraiva
  • Magazine Luiza
  • Walmart
  • Americanas.com
  • Casas Bahia
  • Centauro

No ano passado, em 24 horas de evento, o mesmo Reclame Aqui chegou a registrar mais de 8 mil reclamações de consumidores. Isso fez com que o evento ganhasse o apelido de “Black Fraude”. Até mesmo o slogan “tudo pela metade do dobro” surgiu como uma espécie de protesto contra as propagandas enganosas.

Esse ano, apesar do sucesso ainda maior, com lucros 60% maiores do que em 2012, como pudemos perceber, muitas reclamações se repetiram. De acordo com o blog do Reclame Aqui, “entre as queixas mais comuns este ano, as promoções do tipo ‘metade do dobro’ continuaram no topo. Consumidores de todo o país denunciaram que preços foram elevados nos dias anteriores à promoção para permitir descontos falsos de até 70%, quando na verdade o nível de preços apenas se aproximava da média do último mês”.

Não deixe passar

O Procon de São Paulo alerta que reclamações ainda podem ser feitas por meio dos canais oficiais do órgão – inclusive as redes sociais. Se você quiser fazer alguma denúncia, basta entrar em contato pelo Twitter (@proconspoficial) usando a hashtag #deolhonaBlackFriday e enviar o printscreen da página com o problema. O mesmo procedimento pode ser feito também pelo Facebook (www.facebook.com/proconsp).

Fonte: tecmundo
Compartilhe