Microsoft confirma suporte a extensões no navegador Spartan

A Microsoft parece finalmente estar perto da era moderna dos navegadores com o Spartan, codinome para o futuro browser da empresa que acompanhará o Windows 10. A equipe de desenvolvimento confirmou pelo Twitter que extensões estão nos planos para uma futura atualização do Spartan.

Hoje o Internet Explorer 11 já aceita alguns complementos, mas é algo diferente do que é possível encontrar nos concorrentes Chrome ou Firefox, . A intenção da Microsoft, segundo o site The Verge, é criar uma plataforma que permite que os desenvolvedores da Chrome Web Store façam o port de suas criações com mais facilidade para o novo navegador do Windows 10.

Até agora, a Microsoft apostava na tecnologia ActiveX, já consideravelmente ultrapassada, para ampliar as funcionalidades do Internet Explorer. Ao que tudo indica, a empresa está pronta para uma mudança radical.

Ainda não sabemos qual será o nome final do Spartan quando for lançado, mas a certeza é que a Microsoft quer distanciá-lo do Internet Explorer como conhecemos. O antigo navegador ainda deve ser distribuído com o Windows 10 por questões de retrocompatibilidade, mas o novo deve encabeçar os esforços da empresa com o novo sistema operacional.

O Spartan terá um novo motor de renderização chamado Edge, e vários outros recursos novos, como integração com a assistente Cortana, possibilidade de fazer anotações com rabiscos em telas de toque e comentários em uma página web, e um novo modo de leitura. Ainda não se sabe se ele será lançado para outras versões do Windows.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Extensão transforma YouTube em serviço de rádio

Se você tem o costume de ouvir músicas pelo YouTube na web, mas não gosta da ideia de ter que manter uma janela aberta para isso, saiba que há solução. Isso porque acaba de ser lançada uma extensão para navegador que transforma o portal de vídeos em uma espécie de serviço de streaming.

Batizado de Streamus, o aplicativo permite que o usuário procurar e reproduzir áudio de vídeos do YouTube sem sair da página atual. Além disso, é possível adicionar vídeos na fila ou então, criar playlists.

Se você ainda preferir, pode optar pela função rádio, que assim como em serviços como o Spotify e Pandora, sugere faixas similares de acordo com as faixas reproduzidas anteriormente. Para tanto, basta clicar no botão com ícone de rádio.

A extensão é gratuita, no entanto, funciona somente no Chrome.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Google vai virar operadora de telefonia celular

Já está difícil imaginar uma área em que a digital do Google não esteja presente. A mais recente delas foi anunciada nesta quarta-feira, dia 21: o Google vai se tornar a mais nova operadora celular do Estados Unidos. Não será uma operadora convencional, dona de torres de transmissão e estações rádio base: será uma MVNO – Mobile Virtual Network, algo como Operadora Móvel Virtual. Na prática, o Google vai alugar a infra-estrutura da T-Mobile e da Sprint (operadoras convencionais que atuam no mercado norte-americano) e oferecer seus próprios pacotes diretamente aos consumidores.

A notícia caiu como uma bomba no mercado do Tio Sam. Por lá, a competição entre as empresas já é bastante acirrada e, agora, todos se preparam para uma guerra de preços ainda maior, com a chegada do Google. O temor tem precedentes. O gigante das buscas já mexeu com mercado de banda larga de lá, ao oferecer conexões com 1 Gbps de velocidade a preços acessíveis em algumas cidades. O resultado do movimento foi um aumento do esforço das outras operadoras para oferecer conexões mais rápidas em seus mercados, em ações preventivas contra a “ameaça” do Google. Agora, espera-se que efeitos similares possam ser sentidos no mercado celular.

T-mobile e Sprint a princípio resistiram à aproximação do Google. O temor é que elas poderiam estar colocando a raposa para tomar conta do galinheiro, já que o Google poderia, no longo prazo, acabar modificando completamente o ecossistema celular. Mas, premidas pela grande competição (que, hoje, tem dois grandes líderes, AT&T e Verizon) as duas empresas acabaram cedendo à oferta de dinheiro sem risco e em grande quantidade oferecida pelo Google nos contratos de aluguel da infra-estrutura. Mas, as ambições da turma de Moutain View (sede do Google, no Vale do Silício) no setor celular devem ir além desses acordos recém-firmados.

Uma nova era de comunicação celular

Há tempos o Google vem pressionado o FCC (órgão do governo de lá parecido com nosso ministério das comunicações) para que uma parte do espectro anteriormente ocupado pela TV analógica seja liberado para redes Wi-Fi. No plano maior do Google, no futuro, essas redes Wi-Fi seriam a principal forma de conexão para os smartphones – eles só usariam a comunicação celular mais tradicional onde não houvesse oferta dessas redes. O detalhe é que esse desenho pode fazer com que os custos de todo o ecossistema caiam dramaticamente. Ótima notícia para os consumidores e para o processo de conexão como um todo. Nem tão boa perspectiva para as atuais operadoras celulares.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Começam as filmagens do próximo filme sobre Steve Jobs

O segundo filme biográfico sobre Steve Jobs finalmente começou a sair do papel, já que as filmagens do longa começaram.

A CNET acompanhou a equipe da Universal Pictures enquanto trabalhavam nas primeiras capturas da garagem da casa dos pais de Jobs, a original, que foi envelhecida para ser usada no filme.

Baseada na biografia oficial do executivo, “Steve Jobs” conta com roteiro de Aaron Sorkin e direção de Danny Boyle. O filme passará por três lançamentos que marcaram tanto a história da Apple quanto a de Jobs: Macintosh (1984), NeXT (1988) e iPod (2001).

O executivo será interpretado por Michael Fassbender, enquanto o papel de Steve Wozniak, que fundou a Apple com Jobs em 1976, deve ficar com Seth Rogen.

Os nomes de Kate Winslet e Jeff Daniels também aparecem, talvez para dar vida a Laurene Powell Jobs, esposa de Steve, e John Sculley, ex-CEO da Apple.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Facebook revela rede social para empresas, o “Work”

Há alguns meses, rumores apontaram que o Facebook poderia lançar uma versão da rede social para o trabalho. A história se confirmou e nesta quarta-feira, 14, foi apresentado oficialmente o “Work”.

Disponível na versão web e para aplicativos iOS e Android, a novidade permite que empresas usem o serviço para se comunicar, trocar arquivos e realizar outras tarefas corporativas dentro da rede social.

Segundo o TechCrunch, será possível ainda criar logins separados para funcionários usarem no Work ou ainda, fazer a integração do serviço com contas pessoais. No que diz respeito ao funcionamento, o Work terá design e recursos idênticos ao Facebook, porém, sem anúncios e aplicativos.

Lars Rasmussen, diretor de engenharia no Facebook, afirma que o serviço poderá ser pago e receber formas de monetização como os anúncios, contudo, isso só deve acontecer no futuro. Por enquanto, ele passará por testes com companhias de 100 ou mais funcionários.

Antes do anúncio, o Wall Street Journal já havia reportado que testes estavam sendo feitos com menos de uma dúzia de empresas.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Microsoft encerra suporte gratuito ao Windows 7

A Microsoft encerrou, nesta terça-feira, 13, o suporte gratuito ao Windows 7. Com isso, usuários que possuam o sistema operacional em seu computador não terão suas máquinas quebradas ou interrompidas, porém, isso significa que caso você tenha problema com o Windows 7, a Microsoft não vai mais oferecer soluções gratuitas e nem novas ferramentas serão adicionadas.

Vale frisar, no entanto, que pacotes de segurança continuarão sendo lançados até 2020, quando o suporte ao Windows 7 será totalmente descontinuado. A medida é claramente uma estratégia para migrar os usuários do Windows 7 ao Windows 8, já que o Windows 10 deve ser lançado ainda em 2015.

No entanto, fica a dúvida de por que a empresa não escolheu encerrar o suporte gratuito ao Windows Vista, que é mais antigo, e não o 7. Alguns afirmam que é por conta da recente troca das empresas do Windows XP pelo Vista, logo após o fim do suporte ao XP.

O Windows 7 foi lançado em 2009 e vendeu cerca de 100 milhões de cópias em seis meses. Atualmente, ele ainda é o software mais popular da Microsoft, ficando acima do Vista e do Windows 8.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Loja instala espelho inteligente em provador de roupas

Uma loja de roupas de luxo na Califórnia será a primeira a contar com um espelho inteligente que poderá ajudar clientes a escolher melhor os produtos antes de comprá-los.

MemoryMirror

Trata-se do MemoryMirror, que foi desenvolvido pela MemoMi e apresentado em forma de protótipo no ano passado.

O espelho permite visualização em 360 graus e faz vídeos da pessoa com a peça escolhida. Usando um dispositivo móvel ou apenas gestos corporais, é possível controlar funções como troca de cor e visualização comparativa – sem trocar de roupa.

Este modelo, que também permite compartilhamento dos vídeos, foi projetado para ficar ao lado de fora do provador, portanto não há riscos de que ele filme alguém nu. Mas a MemoMi tem um modelo para o lado de dentro que não conta com tantas funções.

O primeiro espelho está instalado na unidade da Neiman Marcus na Califórnia e foi customizado para atender às necessidades locais – ele consegue indicar peças de acordo com os gostos dos clientes, por exemplo.



Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Ano com 1 segundo a mais pode afetar internet; saiba por que

Prepare-se para o dia 30 de junho. Na data, existe uma possibilidade considerável que vários computadores e serviços tecnológicos de internet ao redor do mundo apresentem problemas. O motivo? O dia será um pouco mais longo. Mais precisamente 1 segundo mais longo.

A medida foi tomada pelos cientistas do IERS (Serviço Internacional de Sistemas de Referência e Rotação da Terra), organização que responsável por manter padrões de referência e tempo no mundo inteiro. Eles são responsáveis pelo segundo bissexto, que é uma medida para ajustar a rotação da terra ao tempo atômico.

Com isso, no final de 30 de junho, os relógios oficiais mundiais marcarão o bizarro horário de 11h59m60s antes de o dia virar 1º de julho, o que fará com que o dia tenha 86.401 segundos em vez de 86.400. E, quando isso acontece, os computadores ao redor do mundo que usam o relógio mundial como referência podem ficar meio “malucos”, prejudicando sistemas e podendo dar problema em vários serviços de internet ao redor do mundo.

Da última vez que isso aconteceu, em 2012, vários sites acabaram caindo, como foi o caso do LinkedIn e do Reddit, como cita o Techie News. Isso acontece porque quando uma máquina recebe um comando para realizar uma operação em um segundo repetido, o computador pode não ter certeza sobre o que fazer, o que pode resultar em um crash.

Algumas empresas já estão se preparando para este momento. É o caso do Google que desenvolveu uma técnica própria para evitar que seus servidores apresentem problemas na data, e isso começa desde já.

O Google começará a adicionar regularmente milissegundos ao relógio até o evento para tentar enganar os sistemas operacionais utilizando uma medida praticamente insignificante.

A adição de um segundo a mais no relógio não é uma novidade, no entanto. Como dito, em 2012 ela já aconteceu e causou problemas, mas trata-se de um processo antigo. A primeira vez que ocorreu foi em 1972, mas só agora tem se tornado um fator problemático, graças ao número cada vez maior de computadores sincronizados aos relógios oficiais mundiais.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Conheça os recursos do Spartan, o novo navegador da Microsoft

O Spartan, codinome do novo navegador da Microsoft, já teve até algumas imagens vazadas, mas agora surgiram algumas novidades sobre a forma como ele deve funcionar.

O browser deve trazer alguns recursos inexistentes nos principais concorrentes, como antecipa o site The Verge. Um deles é a possibilidade de rabiscar na tela usando uma stylus em um display sensível ao toque em desktops, tablets, laptops ou celulares. Ao fazer isso, os rabiscos do usuário são salvos no OneDrive para que possam ser compartilhados com amigos ou acessados em qualquer browser de qualquer plataforma.

O Spartan também deve ser diretamente integrado com a assistente Cortana, nascida no Windows Phone, mas que deve se tornar parte importante de todo o ecossistema da Microsoft. De forma inteligente, ela será capaz de compreender o que é digitado na barra de endereços e, por exemplo, exibir o status de um voo que ela tenha reconhecido quando você digita o nome de uma companhia aérea.

Uma última novidade prevista para dar as caras no navegador é o gerenciamento de abas, permitindo a criação de grupos que podem, por exemplo, dividar abas de uso pessoal das de trabalho. O Spartan também teria suporte a temas customizáveis, mas aparentemente o suporte ao recurso foi removido na versão final que chegará ao Windows 10, mas pode reaparecer com uma atualização posterior.

Atualizações, inclusive, serão uma parte importante do browser, já que finalmente a Microsoft parece ter percebido que atualizar o navegador uma vez por ano não é suficiente, e não é satisfatório distribuir updates que necessitem de um reboot do computador. O Spartan será oferecido na Windows Store, o que possibilitará atualizações mais simples e rápidas.

Como já era previsto, o IE não deve morrer totalmente, e também deve estar presente no Windows 10 por questões de retrocompatibilidade. Porém, o Spartan passará a ser o navegador principal da empresa e do sistema operacional, disponível para PCs, tablets e celulares e com uma experiência similar em todas as plataformas.

Contudo, ele ainda não será um dos aplicativos universais do Windows 10. Ele será oferecido como um app “Metro” e um programa desktop comum, mas ambos devem ser atualizados de forma conjunta e com os mesmos recursos.

Tudo isso deve se confirmar (ou ser desmentido) no dia 21 de janeiro, quando a empresa convocou uma coletiva para apresentar as novidades do Windows 10 para consumidores. Lá devemos saber se o codinome Spartan será mantido no produto final, ou se ele será apenas uma nova versão completamente modificada do IE.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Vaza imagem do novo navegador da Microsoft

Antes de 2014 terminar, vazou a informação de que a Microsoft prepara um navegador totalmente novo para o Windows 10, um que não será o Internet Explorer. Agora surgiu a primeira imagem do programa.

O navegador contará com extensões e um recurso de voz que parece interessante. Será possível dar comandos como “adicione aos favoritos”, “faça disto minha página inicial” e “vá a facebook.com”.

Além disso, o programa será capaz de rodar outros navegadores dentro de si próprio “com o apertar de um botão”. O usuário poderia dividi-lo em várias janelas, por exemplo, com cada uma exibindo a página de uma forma, bastando que os outros navegadores estejam instalados no dispositivo.

Por ora apelidado de Spartan, em referência à série de games Halo, o navegador é bem minimalista, se comparado ao IE. O nome final não é este, mas a fonte do BGR que forneceu a imagem não quis revelar como a novidade será chamada.

A imagem acima também está desatualizada, porque é da segunda versão do “Spartan”, que ficou pronta em novembro. O time que trabalha no programa começou a criá-lo em setembro e já lançou três modelos, tendo o último saído antes do Natal.

Ainda não se sabe se a novidade será mostrada junto com o Windows 10, mas a Microsoft tem um evento marcado para o dia 21 de janeiro.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe