Códigos de apps do Android e do iOS funcionarão no Windows 10

Agora é oficial: com o Windows 10, será possível levar aplicativos desenvolvidos para o Android para a plataforma. Mais do que isso; a Microsoft também facilitou o port de apps do iOS para o Windows. A novidade foi revelada nesta quarta-feira, 29, durante a Build, conferência anual da empresa com desenvolvedores.

Para os aplicativos do Android, a Microsoft permite que os desenvolvedores reutilizem o código Java ou C++ no Windows 10. Já no caso do iOS, será possível reaproveitar o código em Objective C. Estes aplicativos podem ser apenas levemente modificados para se integrar às funcionalidades do Windows 10, como os blocos dinâmicos, Cortana, Xbox, etc.

Não será tão simples como rodar um APK do Android no Windows, no entanto. A decisão de recompilar o código para ser executado no Windows ainda passa pelo desenvolvedor, mas a empresa quer eliminar os possíveis pontos de atrito.  Deixando a criação de aplicativos do Windows mais fácil para quem está familiarizado com outras plataformas, a empresa espera diminuir o vão entre o volume de apps entre as plataformas concorrentes e o Windows.

Segundo a Microsoft, estas ferramentas já estão sendo testadas há algum tempo com algumas empresas-chave, como a King, responsável pelo jogo Candy Crush, um dos mais populares do mundo. Segundo Terry Myerson, chefe da área de Windows, o game roda nos celulares utilizando o código do iOS.

Segundo ele, em entrevista ao site The Verge, a empresa considerou seriamente abraçar apenas os aplicativos do iOS, mas decidiu integrar o Android também pelo fato de o alcance ser maior. “Quando pensamos em Windows, pensamos em todas as pessoas no planeta. Há países onde dispositivos iOS não estão disponíveis”, explica Myerson.

Há outras novidades em relação aos aplicativos do Windows. A empresa permite agora que sites sejam transformados nos novos aplicativos universais da plataforma, aproveitando recursos como notificações e até mesmo compras internas. Estes aplicativos web poderiam ser distribuídos na loja do Windows.

A empresa também afirmou que os atuais aplicativos desktop, os Win32 e .NET também poderão ser transformados em aplicativos universais do Windows 10.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Microsoft abrirá sua primeira loja no Brasil em 29 de abril

Agora a Microsoft também terá suas lojas no Brasil. A empresa está remodelando as antigas lojas que levavam a marca Nokia para comercializar todo o portifólio da empresa de software, indo além dos smartphones: também serão oferecidos outros produtos e licenças para os serviços da companhia, como Office 365, Xbox Live e Skype, por exemplo.

São 50 pontos de venda, entre lojas e quiosques, espalhados por 13 estados brasileiros que passarão pela reformulação.

A primeira loja autorizada da Microsoft será aberta na quarta-feira, 29, no Shopping Eldorado, na zona oeste de São Paulo. A empresa promete brindes às 100 primeiras pessoas que comprarem um smartphone Lumia no local. Também será a primeira da América do Sul a carregar a marca.

A companhia também promete uma experiência diferente de compra no varejo utilizando o Kinect. Graças ao sensor de movimento, será possível criar prateleiras inteligentes, algo inédito no Brasil.

Usando a tecnologia, o sensor identifica o interesse do cliente e interage com ele. Por exemplo: quando a pessoa pega algum produto em exposição ou apenas olha para ele, um vídeo explicativo começa a ser exibido em uma tela de TV, que também mostra acessórios compatíveis.

O Kinect também criará um mapa de calor com o movimento da loja, que monitora a circulação dos clientes, o que ajudará os lojistas a otimizar as gôndolas, mostrando qual é o caminho mais comum feito pelos visitantes e quais produtos chamam mais a atenção.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Lançado o Debian 8 “Jessie”

A Jessie chegou trazendo uma série de novidades interessantes, incluindo ter o controverso systemd como seu init default (o sysvinit continua disponível como opção).

A novidade que mais me atraiu a atenção, entretanto, foi que essa será a primeira versão do Debian a chegar com um compromisso de ser LTS (long term support), ou seja, de ter atualizações e manutenção por 5 anos, como acontece com determinadas versões do Ubuntu.

Bem-vinda, Jessie! E o personagem de Toy Story que vai ser o nome do Debian 9 já está escolhida: vai ser o Stretch. (via www.debian.org – “Debian — Notícias — Lançado o Debian 8 “Jessie””)

Fonte: BR-Linux

Compartilhe

Justiça proíbe operadoras de cortar internet móvel ao fim da franquia

Ao menos no Acre, os clientes deixarão de ter a internet móvel cortada ao fim da franquia, graças a uma decisão da Justiça local.

O juiz Louis Arruda, do Tribunal de Justiça do Acre, determinou que Claro, Oi, Tim e Vivo mantenham seus planos como eram, oferecendo internet reduzida quando a franquia terminar.

O magistrado acatou um pedido do Procon e da Defensoria Pública do Estado. Para ele, a mudança no modelo de negócios é “abusiva” e “ilegal” porque as operadoras não informaram os consumidores com clareza.

“Alteraram unilateralmente cláusulas restritivas de direito nos referidos contratos, agindo e procedendo de maneira incompatível e inadequada com o objeto do contrato”, escreveu ele na decisão, publicada ontem e repercutida pelo UOL.

“As operadoras de telefonia móvel são impulsionadas, certamente, pela busca de maiores lucros, e não, como sustentam, na satisfação dos consumidores, com uma melhor prestação de serviços, notadamente quando, se vê, que as mencionadas empresas disponibilizam aos consumidores, ao fim das franquias contratadas, a possibilidade de migrarem ou contratarem novos planos com valores maiores de mensalidade, além da fatura já contratada.”

Embora a reviravolta tenha validade apenas no Acre, ela abre um precedente para que outros Estados também consigam o feito, ainda mais porque os Procons de todo o país se uniram para reclamar das novas regras.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

WhatsApp começa a liberar ligações para usuários do iOS

A versão 2.12.1 do Whatsapp para iOS já está disponível para iPhones, basta fazer a atualização ou baixá-lo na loja de aplicativos da Apple. A nova versão permite que usuários efetuem ligações online entre si, opção já disponível oficialmente para o sistema Android desde o começo do mês.

Embora o recurso já esteja ativo no novo layout do aplicativo, ele será disponibilizado a funcionalidade aos poucos, priorizando grupos de usuários acostumados a testar mudanças na plataforma. A previsão é de que todos possam efetuar as ligações no decorrer das próximas semanas.

Outras melhorias implementada na atualização são os novos mecanismos de compartilhamento de conteúdo, acesso rápido à câmera e um novo layout, que torna o acesso e edição aos contatos mais rápido e fácil.

Também foi habilitada a possibilidade de desativar a confirmação de leitura de mensagens. O que não existe ainda, no entanto, é a capacidade de usar o WhatsApp Web pelo PC.

Clique aqui para baixar a nova versão do app

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Google lança Project Fi e se torna operadora de telefonia nos EUA

O Google anunciou hoje o Project Fi, seu serviço de telecomunicações, limitado aos Estados Unidos e para usuários do Nexus 6, por enquanto. Em seu blog, o Google diz que seu trabalho no Project Fi pretende fazer para as telecomunicações o mesmo que a linha Nexus de dispositivos móveis fez para o hardware de tais aparelhos.

O serviço

O objetivo do projeto é “tirar a tecnologia do caminho para que você possa se comunicar por meio de qualquer tipo de rede ou dispositivo que você estiver usando”. O serviço seleciona automaticamente a melhor rede para o usuário (que pode ser um hotspot WiFi ou uma rede LTE 4G) com base em sua localização.

Por meio de parceria com as operadoras T-Mobile e Sprint, o Project Fi oferece mais de uma opção de rede 4G, e conecta o dispositivo do usuário à que possui melhor sinal naquela situação. Segundo o Google, será possível, por exemplo, realizar uma ligação por WiFi e, ao sair do alcance daquela rede, transferir a ligação para a rede de celulares sem nenhum tempo perdido.

Além disso, o Project Fi também hospeda seu número de telefone na nuvem. Com isso, é possível acessar e utilizar plano de dados vinculado ao seu número de celular de qualquer smartphone, tablet ou computador, o que permitirá que usuários sigam usando suas linhas mesmo caso percam seus aparelhos. Ou seja: você pode usar o seu número telefônico em qualquer dispositivo compatível com o Google Hangouts.

Modelo de negócios

Atualmente, a empresa oferece um plano “modular” de serviços para seus usuários: um pacote inicial de US$ 20, que dá direito a ligações e mensagens ilimitadas, mais US$ 10 por cada Gigabyte de dados utilizados. Caso o usuário adquira um plano para 3GB de dados e use apenas 1,4GB, ele receberá de volta o valor correspondente aos dados não utilizados (no caso, US$ 16).

A restrição a apenas smartphones Nexus 6 (por enquanto), acontece porque o aparelho, desenvolvido pelo Google em parceria com a Motorola é o primeiros com o hardware e o software adequados para se adaptar ao serviço. Por ora, a empresa oferece cobertura apenas em algumas regiões dos Estados Unidos (veja aqui o mapa). É possível solicitar um convite para o programa de acesso antecipado do serviço no site do Project Fi. Veja mais sobre o serviço no vídeo abaixo (em inglês):

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Encontre um Android perdido pesquisando no Google

O Google facilitou os meios de encontrar um dispositivo Android perdido. Tudo o que o usuário deve fazer agora é digitar ‘Find my phone’ na barra de pesquisas do site a partir do computador.

A página de pesquisas irá automaticamente abrir um mapa revelando a localização do celular ou tablet, exibindo ainda uma opção para fazê-lo tocar. Se depois de localizar o dispositivo o usuário acreditar que aquele não é um local seguro, ele pode clicar no mapa em opções para bloquear e apagar de vez o aparelho.

A partir daí, o usuário será direcionado para o Gerenciador de Dispositivos Android, encontrando as opções correspondentes.

Atenção: para utilizar o recurso, é necessário vincular as contas no PC e no smartphone ou tablet e ter a versão mais recente do app do Google instalada no dispositivo móvel.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Apple Watch já vende mais que a soma dos relógios com Android Wear

De acordo a agência de pesquisa de mercado Slice Intelligence, 957 mil unidades do Apple Watch foram vendidas nas 9 mil lojas espalhadas pelos EUA. Isso significa que o novo smartwatch da empresa comandada por Tim Cook já superou a soma das vendas de todos os dispositivos vestíveis semelhantes com sistema operacional do Google, já que os gadgets esse sistema anotaram 720 mil unidades vendidas no ano passado.

Um dado interessante destacado pela consultoria é que cerca de 1,3 modelos foram vendidos por compradores. Isso, na prática, quer dizer que houve entre os consumidores um grupo específico que comprou mais de um smartwatch em seu nome.

Cerca de 70% dos Apple Watches vendidos foram os modelos com pulseiras maiores. O case Space Gray (40%) e o Space Black (36%) foram os mais populares entre os modelos oferecidos. Os preços dos relógios variam de US$ 350 a até 17mil dólares, como os modelos “Edition” da linha, que são feitos em ouro.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Já experimentou o Dubsmash? App virou febre nos últimos dias

É muito provável que sua timeline tenha sido inundada por vídeos curtos com dublagens engraçadas (algumas nem tanto) onde seus amigos interpretam frases que viralizaram na internet ou na televisão. A responsável por isso é a desenvolvedora de aplicativos Mobile Motion GmbH, que desde o começo de Abril disponibilizou o aplicativo “Dubsmash” para sistemas iOS no App Store.

Entretanto, o app só alçou o sucesso maciço na redes sociais quando foi disponibilizado para dispositivos Androids no dia 27 de março. Desde então, só no Google Play, já registrou mais de 20 milhões de downloads.

A grande sacada do Dubsmash é utilizar um algoritmo conhecido dos editores profissionais de vídeo que sincroniza a gravação de um áudio com o movimento da boca de um personagem em uma gravação. Então, mesmo que o usuário não tenha aptidões de dublagem, a sincronização automática do app dá uma força.

Se o resultado for satisfatório, o video pode ser compartilhado no Messenger, WhatsApp ou salvo na galeria de imagens do smartphone. O app não funciona como uma rede social, então o processo de compartilhamento do conteúdo precisa ser feito manualmente.

Além das mais ouvidas, o aplicativo também oferece diversas outras dublagens com temas, na sua maioria em inglês, separados por categorias. “Love”, por exemplo, reúne grandes frases do cinema, televisão e internet que falam sobre amor. Já “Animals”, como o nome diz, reúne sons de animais de diversas espécies.

Também é possível fazer uploads ou gravações de sons ou frases que você gostaria de dublar mas não encontrou no acervo do sistema. Para essa opção, é preciso fazer um cadastro no aplicativo.

O canal Dubsmash Brasil no YouTube reúne as principais dublagens que estão fazendo sucesso na web. E você? Já entrou na onda do Dubsmash?

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Apple Watch esgota nos primeiros minutos de venda

Começou hoje a venda do Apple Watch, aguardado relógio inteligente que a empresa da maçã apresentou no ano passado. Quem está no Brasil ainda não pode comprá-lo, e quem já pode ainda não o receberá. Mesmo assim, o estoque já se foi.

Neste primeiro momento, apenas Estados Unidos, Reino Unido, China, Japão, Austrália, França, Canadá, Alemanha e Hong Kong tinham o aparelho, assim como o novo MacBook.

Desses países, apenas as cidades de Tóquio, Londres e Paris possuem lojas físicas onde os produtos estão à mostra. Mas mesmo neles as compras só poderiam ser feitas online, sendo que as entregas começarão em 24 de abril.

Quase todos os modelos acabaram em poucos minutos. Nos EUA, segundo o The Next Web, apenas o de aço inoxidável com 38 milímetros ficou disponível por mais tempo, mas a MacMagazine relata que a linha Watch Sport se foi em 3 minutos.

Quando o estoque começou a diminuir, a previsão de entrega foi sendo empurrada para frente, até chegar a junho. E nenhum dos países dava opção de retirar o relógio em loja, portanto quem programou uma viagem pensando em comprar com antecedência para buscar o dispositivo se deu mal.

Além disso, foram divulgados os preços do AppleCare+ para os relógios: US$ 49 para Apple Watch Sport, US$ 69 para Apple Watch e US$ 1,5 mil para Apple Watch Edition. Ainda não há informações sobre quando o relógio será lançado no Brasil, mas depois desse início conturbado de vendas é provável que ele demore para chegar aqui.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe