Microsoft confirma suporte a extensões no navegador Spartan

A Microsoft parece finalmente estar perto da era moderna dos navegadores com o Spartan, codinome para o futuro browser da empresa que acompanhará o Windows 10. A equipe de desenvolvimento confirmou pelo Twitter que extensões estão nos planos para uma futura atualização do Spartan.

Hoje o Internet Explorer 11 já aceita alguns complementos, mas é algo diferente do que é possível encontrar nos concorrentes Chrome ou Firefox, . A intenção da Microsoft, segundo o site The Verge, é criar uma plataforma que permite que os desenvolvedores da Chrome Web Store façam o port de suas criações com mais facilidade para o novo navegador do Windows 10.

Até agora, a Microsoft apostava na tecnologia ActiveX, já consideravelmente ultrapassada, para ampliar as funcionalidades do Internet Explorer. Ao que tudo indica, a empresa está pronta para uma mudança radical.

Ainda não sabemos qual será o nome final do Spartan quando for lançado, mas a certeza é que a Microsoft quer distanciá-lo do Internet Explorer como conhecemos. O antigo navegador ainda deve ser distribuído com o Windows 10 por questões de retrocompatibilidade, mas o novo deve encabeçar os esforços da empresa com o novo sistema operacional.

O Spartan terá um novo motor de renderização chamado Edge, e vários outros recursos novos, como integração com a assistente Cortana, possibilidade de fazer anotações com rabiscos em telas de toque e comentários em uma página web, e um novo modo de leitura. Ainda não se sabe se ele será lançado para outras versões do Windows.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Extensão transforma YouTube em serviço de rádio

Se você tem o costume de ouvir músicas pelo YouTube na web, mas não gosta da ideia de ter que manter uma janela aberta para isso, saiba que há solução. Isso porque acaba de ser lançada uma extensão para navegador que transforma o portal de vídeos em uma espécie de serviço de streaming.

Batizado de Streamus, o aplicativo permite que o usuário procurar e reproduzir áudio de vídeos do YouTube sem sair da página atual. Além disso, é possível adicionar vídeos na fila ou então, criar playlists.

Se você ainda preferir, pode optar pela função rádio, que assim como em serviços como o Spotify e Pandora, sugere faixas similares de acordo com as faixas reproduzidas anteriormente. Para tanto, basta clicar no botão com ícone de rádio.

A extensão é gratuita, no entanto, funciona somente no Chrome.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Google Chrome continuará dando suporte ao Windows XP até 2015

Sempre que o fim do suporte a um sistema operacional é anunciado, infelizmente, poucos usuários se preocupam com os desdobramentos. Quando o OS em questão tem nada menos que 12 anos e, ainda assim, abocanha mais de 20% de participação no mercado, sendo o segundo mais utilizado no mundo, a situação fica ainda mais crítica, uma vez que ele deixará de receber qualquer atualização, até mesmo de segurança. O sistema operacional em questão é o Windows XP, que deixará de receber atualização da Microsoft em 8 de abril de 2014 pela gigante de Redmond.

20131018windows_xp_blue_screenCom ele, o Internet Explorer 8 (no XP) também deixará de ser atualizado e, como ainda é muito utilizado por usuários leigos (prefiro pensar assim) e por empresas (por questões de compatibilidade com aplicações internas), já dá para ter uma ideia do estrago que pode ocorrer. Afinal, o navegador é, normalmente, a porta de entrada da grande maioria das ameaças digitais existentes. Mas, felizmente, nem tudo está perdido e o Google anunciou que o Chrome continuará dando suporte ao Windows XP por mais um ano, indo até abril de 2015.

Fonte: Meio Bit

Compartilhe

Firefox 22 ganha fácil do Chrome, IE e Opera em teste de desempenho e recursos

O Tom’s Hardware publicou um looooooongo artigo comparando recursos e desempenho das versões atuais do Chrome, Firefox, Opera e IE. Os testes foram executados em um PC com processador i5 rodando Windows 8, com critérios de desempenho (tempo de abertura, tempo de exibição de página, …) e critérios de características (eficiência de uso de memória, conformidade com padrões.

wbgpxvichamp-27442

Após longo período de dominância do Chrome, uma novidade: o Firefox 22 foi o grande vencedor, por larga margem. E uma surpresa interessante: o recém-lançado Opera que usa os recursos do Chromium também se saiu muito bem, apesar de ser versão inicial.

O Chrome, por outro lado, parece estar seguindo um caminho que o velho Mozillão um dia trilhou: tem cada vez mais recursos, se aproxima cada vez mais de ser um desktop, e assim vai abrindo mão de fatias de desempenho e de estabilidade.

Fonte: BR-Linux.

Compartilhe