Oracle VirtualBox 5.1 disponível – melhoria na integração com Linux e no suporte multimídia

O VirtualBox, programa desenvolvido pela Oracle que permite aos computadores rodarem máquinas virtuais, lançou a versão final 5.1; que contém melhorias significativas, com um grande número de aprimoramentos e correções de erros/bugs. Acompanhe as novidades. Entre as principais, destaco melhoria na integração com Linux e no suporte multimídia.

NOVIDADES DO VIRTUALBOX 5.1

Ontem, 12 de julho de 2016, a Oracle anunciou o lançamento final da versão 5.1 do software de virtualização VirtualBox. No seu anúncio, a Oracle prometeu ser uma atualização de versão digna comparada com as anteriores ;-) . Pois, aumenta a integração com Linux, suporte aprimorado a recursos multimídia e suporte para novas tecnologias.

A versão 5.1 suporta os mais recentes sistemas operacionais hospedeiros, incluindo: Mac OS X Yosemite, Windows 10, o Oracle Linux, Oracle Solaris, outros sistemas operacionais Linux e sistemas operacionais legados.

As atualizações do VirtualBox 5.1 são consideradas relevantes, pois trouxeram melhorias para Linux. Por exemplo, suporte a HDA ​​(High Definition Audio) para sistemas convidados (guests) Linux e ativação de controladores x2apic(usado pela Intel em sua arquitetura xAPIC).

Melhoria no suporte a dispositivos USB, suporte de áudio multicanal e melhoria no desempenho geral durante aexecução de VMs com múltiplas CPUs. No quesito da rede, diversas atualizações foram feitas. Nessa versão atualizada, está disponível a implantação automática dos módulos do kernel em sistemas operacionais GNU/Linux!! Ou seja, não é mais preciso ficar reconfigurando ou recompilando o módulo do kernel DKMS quando atualizações de versões do kernel do sistema forem feitas ;-) .

Além disso, o VirtualBox 5.1 trabalha fino com sistemas com init systemd e com as últimas versões do kernel Linux (4.6 e 4.7).

Também, foram resolvidos alguns bugs que afetam initramfs e das bibliotecas OpenGL – API utilizada para computação gráfica. Suporte ao Python 3 foi melhorado. Incluem melhorias na implementação de um novo controlador de armazenamento chamado NVMHCI (Non-Volatile Memory Host Controller Interface Specification) para emular dispositivos NVMe (NVM Express) – Flash storage emulation.

Por último, mas não menos importante, o VirtualBox 5.1 introduz uma nova funcionalidade de registro projetado para filtrar e destacar informações sobre VMs e host hospedeiro. Em resumo, é uma ferramenta de relatórios que recolhe automaticamente logs e informações sobre ambos que vai ser usada para que a Oracle analise e depure os erros encontrados.

Conforme nota oficial de lançamento, a Oracle resumiu as atualizações dessa maneira:

  • Improved Performance: Melhorias significativas para desempenhos de VMs com múltiplas CPU e melhorias nas configurações de rede;
  • Bug Reporting Tool: Nova ferramenta para coletar todas as informações e registros de logs reportados pelo hospedeiro e VMs. Tudo isso, para a Oracle possa monitorar e detectar bugs;
  • Improved multimedia availability: Melhoria no suporte a dispositivos USB e suporte de áudio multicanal;
  • Flash storage emulation: Incluem melhorias na implementação de um novo controlador de armazenamento chamado NVMHCI (Non-Volatile Memory Host Controller Interface Specification) para emular dispositivos NVMe (NVM Express) – Flash storage emulation.
  • Improved Linux integration: implantação automática dos módulos do kernel em sistemas operacionais GNU/Linux no caso de atualizações do Kernel Linux (não é mais preciso ficar reconfigurando ou recompilando o módulo do kernel DKMS) e melhoria no suporte a sistemas com init systemd.

Descrição completa das melhorias encontradas no VirtualBox 5.1 podem ser encontradas aqui.

QUERO TESTAR

O VirtualBox 5.1 já está disponível para download para os sistemas operacionais através do site oficial do VirtualBox.

É recomendado que os usuários Linux esperar a nova versão a chegar nos principais repositórios das distribuições Linux antes de atualizar ;)

Fonte: Linux Descomplicado

Compartilhe

Lançado o Debian 8 “Jessie”

A Jessie chegou trazendo uma série de novidades interessantes, incluindo ter o controverso systemd como seu init default (o sysvinit continua disponível como opção).

A novidade que mais me atraiu a atenção, entretanto, foi que essa será a primeira versão do Debian a chegar com um compromisso de ser LTS (long term support), ou seja, de ter atualizações e manutenção por 5 anos, como acontece com determinadas versões do Ubuntu.

Bem-vinda, Jessie! E o personagem de Toy Story que vai ser o nome do Debian 9 já está escolhida: vai ser o Stretch. (via www.debian.org – “Debian — Notícias — Lançado o Debian 8 “Jessie””)

Fonte: BR-Linux

Compartilhe

OpenLaunchd: desenvolvedores ligados ao FreeBSD pretendem portar para sistemas não-Darwin o init da Apple

Launchd é o sistema open source unificado da Apple para gerenciar a inicialização, interrupção e administração de daemons, aplicativos, processos e scripts, substituindo no OS X e iOS os subsistemas tradicionais init, inetd, cron, at e watchdog.

Buscando reduzir o tempo de boot e modernizar o gerenciamento de tarefas nos níveis do usuário e do sistema, há tempos os desenvolvedores do FreeBSD têm interesse em portar o sistema, que está em uso pela Apple desde o OS X Tiger, e tem seu código disponível sob a licença Apache. Já houve iniciativas em 2005 (via Google Summer of Code) e em 2008, mas não chegaram a concluir a tarefa.

Agora, com o OpenLaunchD, a tarefa reinicia, e o objetivo declarado inclui permitir que ele possa ser usado no Linux também. Desejo sucesso! (via www.phoronix.com – “[Phoronix] Apple’s OS X Launchd Being Ported To FreeBSD”)

Fonte: br-linux

Compartilhe