Internauta não comprou tudo que quis na Black Friday

São Paulo. Uma pesquisa do site Reclame Aqui com 1004 internautas cadastrados mostrou que a maior reclamação durante a Black Friday, na última sexta-feira, foi ter encontrado problemas para acessar os sites das lojas e comprar os produtos. Cerca de 80% relataram tal dificuldade; 27% dos internautas disseram que não conseguiram finalizar as suas compras por causa das falhas. Em função do volume alto de vendas, muitos sites saíram do ar.

No ano passado, quando a liquidação ficou conhecida como “Black Fraude”, as maiores queixas dos usuários foram os descontos falsos, os preços maquiados e a prática de aumentar o preço dias antes da liquidação para baixá-los ao patamar normal no dia da promoção. Nas redes sociais, os internautas criaram o “slogan” “Black Fraude: tudo pela metade do dobro”. Neste ano, esse tipo de denúncia também apareceu.

Além das dificuldades em concluir a compra, outros problemas citados pelos consumidores foram a falta de estoques (63% dos entrevistados) e os preços maquiados (62%). A média de desconto percebida pelos internautas foi de 22%; os organizadores da promoção prometiam reduções de até 80% nos preços.

O Reclame Aqui fez um plantão de 24 horas para monitorar em tempo real as queixas dos internautas. Os três sites com maior número de reclamações, de acordo com balanço divulgado pelo site, foram o Extra.com, o Submarino.com e o Ponto Frio. Esses três, mais Americanas.com e Casa Bahia bateram, nas seis primeiras horas da liquidação, seus recordes diários de queixas neste ano. Em média, o Reclame Aqui recebeu uma queixa a cada 25 segundos, descontando os relatos enviados via chat.

Cerca de 30% dos internautas disseram que não pretendem participar de novas edições da Black Friday.

Importada. A data foi importada dos Estados Unidos, onde, logo após o Dia de Ação de Graças, lojas fazem cortes expressivos nos preços dos produtos durante 24 horas. Lá, a data é a principal para as vendas do varejo e os consumidores chegam a acampar na porta das lojas semanas antes para garantir os melhores produtos.

Na edição deste ano, houve tumultos, tiros e feridos na briga pelos produtos. A agência “Reuters” relatou que um policial ficou ferido ao tentar separar uma briga do lado de fora de uma loja WalMart, na Califórnia. Em Las Vegas, uma pessoa levou um tiro na perna depois de uma discussão por causa de uma televisão recém-comprada.

Fonte: otempo

Compartilhe

No Brasil, 95% dos jovens internautas se dizem viciados em tecnologia; faça o teste

Segundo o Ibope Media, 95% dos jovens brasileiros entre 15 a 33 anos com acesso à internet se consideram viciados em tecnologia. O dado resulta de pesquisa realizada pelo painel online CONECTAí, em parceria com o portal youPIX, com a participação de 1063 internautas.
boy
Todos que se classificam como dependentes usam Facebook; 74% afirmam utilizar o Skype e 72% o Twitter. Serviços de internet banking estão presentes na rotina de 70% deles e aplicativos de mensagens instantâneas (Whatsapp) na de 63%. O percentual é o mesmo dos que acessam blogs.

O aplicativo para publicação de fotos Instagram é usado por 59% dos jovens internautas e os jogos online são um hábito para 56%. No total, 48% aderem à rede social corporativa Linkedin. A pesquisa foi realizada entre os dias 26 de junho e 2 de julho, com 1.063 internautas do portal YouPIX.

Fonte: Olhar Digital.

Compartilhe