Xiaomi compra patentes da Microsoft e leva Skype e Office aos seus smartphones

A Microsoft concordou em transferir algumas de suas patentes para a Xiaomi, integrando os planos da fabricante de smartphones chinesa de entrar no mercado norte-americano e avançar em outros.

O acordo entre a Xiaomi e Microsoft também cobre o uso do Microsoft Office e Skype em smartphones Android e tablets da companhia chinesa, de acordo com um comunicado enviado pela Microsoft nessa terça-feira.

Segundo informações do Wall Street Journal, a Xiaomi comprou cerca de 1.500 patentes da Microsoft e ainda está assinando um licenciamento cruzado para outras patentes da empresa de Redmond.

“Expandir a parceria entre Xiaomi-Microsoft: novo acordo para Office & Skype pré-instalados, licença cruzada IP e acordo de transferência de patente”, escreveu o vice-presidente da Xiaomi, o brasileiro Hugo Barra, em sua página no Twitter.

No entanto, ainda não ficou claro se a Microsoft vendeu patentes relacionadas ao Android para a Xiaomi.

“Imagino que a Microsoft gostaria de manter suas patentes Android, e provavelmente não as venderia”, disse Bryan Ma, vice-presidente da consultoria IDC.

“De qualquer forma, a Xiaomi está tentando construir seu portfólio de patentes, particularmente para ajudar seus esforços internacionais, então isso soa como um ótimo impulso”, disse Ma. O acordo também dá ao ecossistema da Microsoft mais usuários em potencial, algo que tem se tornado cada vez mais importante para a companhia do que o Windows.

De acordo com analistas, a companhia chinesa tem mirado o mercado americano há um tempo, mas aparentemente resistiu devido a preocupações sobre processos por infração de patentes, que se tornaram uma parte relativamente comum às fabricantes de smartphones para manter suas rivais fora do lucrativo mercado americano. A entrada da Xiaomi na Índia, por exemplo, resultou em um processo por infração de patentes movido pela Ericsson.

Sob o acordo com a Microsoft, que se inicia a partir de setembro, aparelhos Android Xiaomi, incluindo o Mi 5, Mi Max, Mi 4s, Redmi Note 3 e Redmi 3, virão com os seguintes aplicativos pré-instalados: Microsoft Word, Excel, PowerPoint, Outlook e Skype. Ofertas específicas devem variar de acordo com o aparelho e operadora. Segundo a Microsoft, o acordo também cobre o Windows 10 para o Mi Pad e o Microsoft Azure alimentando o serviço Mi Cloud.

A Microsoft assinou com um grande número de fornecedores de smartphones Android para o seu programa de licenciamento de propriedade intelectual que os protege de processos por violação de patentes. A companhia assinou mais de 1.200 acordos desde que o lançou em dezembro de 2003.

Fonte: IDGNow

Compartilhe

Vídeo: Visual Studio Code — Instalação no Ubuntu e Review

Se você quer experimentar o editor de código multiplataforma da Microsoft, veja aqui como instalar o Visual Studio Code no Ubuntu e seus derivados. Visual Studio Code foi criado usando uma mistura de tecnologias de código aberto e baseadas na web, como o Chromium, o Electron app framework do GitHub, e próprio editor Monaco, da Microsoft. Mas é preciso deixar claro que a ferramenta é um editor de código, não uma IDE completa (Ambiente de Desenvolvimento Integrado), como seu homônimo Visual Studio.

Mesmo sendo um produto da Microsoft, surpreendentemente, o Visual Studio Code possui uma versão para Linux.O Visual Studio Code oferece suporte a coloração e realce de sintaxe completa e todas as características padrão de um bom editor de código, para trabalhar com C#, C++, PHP, Java, HTML, CSS, Markdown, SASS, JSON e Python.

Ele também fornece integração com o Github, semelhante ao encontrado no Google Chrome Dev Editor e suporte IntelliSense alimentado por projetos open source para trabalhar mais rápido (por exemplo, correção de erro de digitação, preenchimento automático, etc.) com suporte. No blog AndroiMais.com Visual Studio Code: Top 10 perguntas respondidas você confere mais sobre o programa multiplataforma da Microsoft.

O aplicativo está disponível para instalação usando o Ubuntu Make, uma ferramenta de linha de comando que permite instalar uma série de IDEs facilmente.

Para instalar o Visual Studio Code e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Fonte: TavernaLinuxBR

Compartilhe

Microsoft considera o Windows 10 “a última versão do Windows”

O mundo não deverá conhecer um Windows 11. É o que a Microsoft dá a entender na conferência Ignite, que aconteceu durante esta semana nos Estados Unidos. Durante apresentação de Jerry Nixon, empregado, desenvolvedor e evangelista da Microsoft, afirma que o “Windows 10 é a versão final do Windows”.

Ele explica que quando aconteceu o lançamento do Windows 8.1, a empresa já desenvolvia a versão 10. No entanto, agora que a Microsoft prepara a distribuição do W10, a companhia continua trabalhando na mesma versão.

Isso acontece porque a empresa está mudando o modo como trabalha com o Windows, sem prever grandes atualizações em um futuro em curto e médio prazo. Em vez de realizar grandes lançamentos, a companhia deve liberar atualizações com melhorias constantes e regulares.

Para alcançar este objetivo, a empresa está dividindo seu sistema operacional em diferentes componentes, como o Menu Iniciar e programas embutidos no sistema, que são transformados em partes independentes que podem ser atualizadas de forma mais livre e rápida.

Com o Windows como serviço em vez de produto, devemos ver as ferramentas do sistema sendo atualizadas gradualmente. Como exemplifica o The Verge, a situação deve ser similar ao Google Chrome: updates rápidos, muitas vezes pequenos, efetivos, mas discretos, que não chamam a atenção.

A longo prazo, usuários devem parar de falar “eu tenho o Windows X”, “eu ainda uso o Windows Y” ou “estou esperando o Windows Z”. Todos os usuários devem estar na mesma página e chamar o sistema apenas de “Windows”. A versão será irrelevante.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Microsoft abrirá sua primeira loja no Brasil em 29 de abril

Agora a Microsoft também terá suas lojas no Brasil. A empresa está remodelando as antigas lojas que levavam a marca Nokia para comercializar todo o portifólio da empresa de software, indo além dos smartphones: também serão oferecidos outros produtos e licenças para os serviços da companhia, como Office 365, Xbox Live e Skype, por exemplo.

São 50 pontos de venda, entre lojas e quiosques, espalhados por 13 estados brasileiros que passarão pela reformulação.

A primeira loja autorizada da Microsoft será aberta na quarta-feira, 29, no Shopping Eldorado, na zona oeste de São Paulo. A empresa promete brindes às 100 primeiras pessoas que comprarem um smartphone Lumia no local. Também será a primeira da América do Sul a carregar a marca.

A companhia também promete uma experiência diferente de compra no varejo utilizando o Kinect. Graças ao sensor de movimento, será possível criar prateleiras inteligentes, algo inédito no Brasil.

Usando a tecnologia, o sensor identifica o interesse do cliente e interage com ele. Por exemplo: quando a pessoa pega algum produto em exposição ou apenas olha para ele, um vídeo explicativo começa a ser exibido em uma tela de TV, que também mostra acessórios compatíveis.

O Kinect também criará um mapa de calor com o movimento da loja, que monitora a circulação dos clientes, o que ajudará os lojistas a otimizar as gôndolas, mostrando qual é o caminho mais comum feito pelos visitantes e quais produtos chamam mais a atenção.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Microsoft confirma suporte a extensões no navegador Spartan

A Microsoft parece finalmente estar perto da era moderna dos navegadores com o Spartan, codinome para o futuro browser da empresa que acompanhará o Windows 10. A equipe de desenvolvimento confirmou pelo Twitter que extensões estão nos planos para uma futura atualização do Spartan.

Hoje o Internet Explorer 11 já aceita alguns complementos, mas é algo diferente do que é possível encontrar nos concorrentes Chrome ou Firefox, . A intenção da Microsoft, segundo o site The Verge, é criar uma plataforma que permite que os desenvolvedores da Chrome Web Store façam o port de suas criações com mais facilidade para o novo navegador do Windows 10.

Até agora, a Microsoft apostava na tecnologia ActiveX, já consideravelmente ultrapassada, para ampliar as funcionalidades do Internet Explorer. Ao que tudo indica, a empresa está pronta para uma mudança radical.

Ainda não sabemos qual será o nome final do Spartan quando for lançado, mas a certeza é que a Microsoft quer distanciá-lo do Internet Explorer como conhecemos. O antigo navegador ainda deve ser distribuído com o Windows 10 por questões de retrocompatibilidade, mas o novo deve encabeçar os esforços da empresa com o novo sistema operacional.

O Spartan terá um novo motor de renderização chamado Edge, e vários outros recursos novos, como integração com a assistente Cortana, possibilidade de fazer anotações com rabiscos em telas de toque e comentários em uma página web, e um novo modo de leitura. Ainda não se sabe se ele será lançado para outras versões do Windows.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Microsoft encerra suporte gratuito ao Windows 7

A Microsoft encerrou, nesta terça-feira, 13, o suporte gratuito ao Windows 7. Com isso, usuários que possuam o sistema operacional em seu computador não terão suas máquinas quebradas ou interrompidas, porém, isso significa que caso você tenha problema com o Windows 7, a Microsoft não vai mais oferecer soluções gratuitas e nem novas ferramentas serão adicionadas.

Vale frisar, no entanto, que pacotes de segurança continuarão sendo lançados até 2020, quando o suporte ao Windows 7 será totalmente descontinuado. A medida é claramente uma estratégia para migrar os usuários do Windows 7 ao Windows 8, já que o Windows 10 deve ser lançado ainda em 2015.

No entanto, fica a dúvida de por que a empresa não escolheu encerrar o suporte gratuito ao Windows Vista, que é mais antigo, e não o 7. Alguns afirmam que é por conta da recente troca das empresas do Windows XP pelo Vista, logo após o fim do suporte ao XP.

O Windows 7 foi lançado em 2009 e vendeu cerca de 100 milhões de cópias em seis meses. Atualmente, ele ainda é o software mais popular da Microsoft, ficando acima do Vista e do Windows 8.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Conheça os recursos do Spartan, o novo navegador da Microsoft

O Spartan, codinome do novo navegador da Microsoft, já teve até algumas imagens vazadas, mas agora surgiram algumas novidades sobre a forma como ele deve funcionar.

O browser deve trazer alguns recursos inexistentes nos principais concorrentes, como antecipa o site The Verge. Um deles é a possibilidade de rabiscar na tela usando uma stylus em um display sensível ao toque em desktops, tablets, laptops ou celulares. Ao fazer isso, os rabiscos do usuário são salvos no OneDrive para que possam ser compartilhados com amigos ou acessados em qualquer browser de qualquer plataforma.

O Spartan também deve ser diretamente integrado com a assistente Cortana, nascida no Windows Phone, mas que deve se tornar parte importante de todo o ecossistema da Microsoft. De forma inteligente, ela será capaz de compreender o que é digitado na barra de endereços e, por exemplo, exibir o status de um voo que ela tenha reconhecido quando você digita o nome de uma companhia aérea.

Uma última novidade prevista para dar as caras no navegador é o gerenciamento de abas, permitindo a criação de grupos que podem, por exemplo, dividar abas de uso pessoal das de trabalho. O Spartan também teria suporte a temas customizáveis, mas aparentemente o suporte ao recurso foi removido na versão final que chegará ao Windows 10, mas pode reaparecer com uma atualização posterior.

Atualizações, inclusive, serão uma parte importante do browser, já que finalmente a Microsoft parece ter percebido que atualizar o navegador uma vez por ano não é suficiente, e não é satisfatório distribuir updates que necessitem de um reboot do computador. O Spartan será oferecido na Windows Store, o que possibilitará atualizações mais simples e rápidas.

Como já era previsto, o IE não deve morrer totalmente, e também deve estar presente no Windows 10 por questões de retrocompatibilidade. Porém, o Spartan passará a ser o navegador principal da empresa e do sistema operacional, disponível para PCs, tablets e celulares e com uma experiência similar em todas as plataformas.

Contudo, ele ainda não será um dos aplicativos universais do Windows 10. Ele será oferecido como um app “Metro” e um programa desktop comum, mas ambos devem ser atualizados de forma conjunta e com os mesmos recursos.

Tudo isso deve se confirmar (ou ser desmentido) no dia 21 de janeiro, quando a empresa convocou uma coletiva para apresentar as novidades do Windows 10 para consumidores. Lá devemos saber se o codinome Spartan será mantido no produto final, ou se ele será apenas uma nova versão completamente modificada do IE.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Microsoft prepara navegador totalmente novo para o Windows 10

Não gosta do Internet Explorer? Uma boa notícia parece estar se aproximando: a Microsoft deve anunciar um novo navegador que estará incluso no Windows 10, que não será o IE 12. Aparentemente, a ideia é criar uma experiência mais próxima do que é visto no Chrome e Firefox.

Segundo Mary Jo Foley, jornalista do ZDNet que é uma das maiores conhecedora dos meandros da Microsoft, o navegador ainda seria baseado em tecnologia web da empresa, como o motor JavaScript Chakra e o motor de renderização Trident. Ou seja, nada de mudar do nada para o WebKit, usado pelos seus concorrentes.

O projeto está sendo tratado internamente pelo codinome “Spartan”, mais uma referência a Halo, a popular franquia de games do Xbox. O navegador também atenderá um pedido antigo dos usuários e deve começar a aceitar extensões.

Porém, a despedida do Internet Explorer não é tão fácil assim. Segundo a publicação, o IE ainda será distribuído com o Windows 10 por questões de retrocompatibilidade, pelo menos nos desktops. Já o Spartan será oferecido para desktops, celulares, tablets e basicamente qualquer outro dispositivo com a nova versão do sistema operacional.

É possível que o novo browser seja anunciado já no evento de apresentação de 21 de janeiro, na qual a Microsoft destacará as funções para consumidores comuns do Windows 10. No entanto, ele ainda não deve estar funcional o bastante para ser incluso na versão de preview que deve ser lançada pouco tempo depois.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Rússia quer que Apple e SAP cedam acesso a códigos-fonte

A Rússia propôs que a norte-americana Apple e a alemã SAP deem para o governo acesso aos seus códigos-fonte para assegurar que seus produtos não são ferramentas para espionagem contra instituições. A sugestão de que duas das principais companhias de tecnologia do mundo revelem alguns de seus mais sensíveis segredos empresariais é feita em um momento sensível. Estados Unidos e União Europeia aprovaram sanções mais severas contra a Rússia por seu papel na Ucrânia.tim-cook-glare

O Ministério das Comunicações informou em um comunicado que a proposta russa foi feita na semana passada quando o ministro das Comunicações, Nikolai Nikiforov, se encontrou com o gerente-geral da Apple na Rússia, Peter Engrob Nielsen, e o diretor-gerente da SAP no país, Vyacheslav ORekhov.

O ministério disse que a proposta visa assegurar os direitos de consumidores e usuários empresariais à privacidade de seus dados pessoais, como também por questões de segurança do Estado.Embora cercada pela linguagem de proteção à privacidade, qualquer medida russa para forçar estas companhias a divulgar o funcionamento interno de seus softwares pode representar uma grande ameaça à viabilidade desses programas caso percam o controle do código-fonte.

O ministério citou sua cooperação de mais de uma década com a Microsoft. A companhia norte-americana tem compartilhado seu código-fonte para o sistema operacional Windows e outros produtos desde 2003 com a Atlas, uma instituição de tecnologia que se reporta ao ministério das Comunicações russo.

Fonte: G1

Compartilhe

Microsoft apresenta Inori Aizawa, a mascote oficial do Internet Explorer

Ainda que o Internet Explorer responda por mais de 58% da navegação na net (números de outubro), a maioria desses usuários ainda usa o IE8, que responde por 21,76%. Na sequência vêm o IE 10, com 18,94%. O IE 6, que a Microsoft faz de tudo para eliminar da face da Terra ainda responde por 5% do market share total, enquanto o IE 11 conta com apenas 1,49%, o que é compreensível já que o Windows 8.1 saiu há pouquíssimo tempo.

Para incentivar usuários a manterem seus navegadores atualizados a partir do Internet Explorer 9 e por tabela aumentar sua popularidade, a Microsoft repetiu a estratégia que utilizou no oriente com o Windows 7, 8 e até os serviços Silverlight e Azure: criou uma mascote oficial para o browser, chamada Inori Aizawa.

A Microsoft promoveu o lançamento de uma versão dedicada à mascote, chamada “Inori version” no Anime Festival Asia 2013 em Singapura, um evento de cultura pop. Ela inclusive tem uma página no Facebook e disponibilizou downloads no Skydrive. Para quem já possui o IE atualizado, basta acessar a home page da japinha para ter acesso a uma palhinha de como será a navegação, com feeds de de sites de animes e games mais voltados à cultura japonesa como Siliconera, Rocket News 24 e Otaku Magazine USA. Links da versão do IE personalizado ainda não foram liberados.

Claro que como a nova versão do browser foi lançada num evento de animes, ela também ganhou uma animação curtinha:

As OS-Tans (nome que se dão às versões antropomorfizadas e fofinhas de SOs, navegadores e etc) não é algo novo; surgiu obviamente no Japão numa lista de discussão do 2ch. Reza a lenda que os usuários do Windows Me reclamavam tanto de seus erros que o comparavam “a uma garota instável e problemática”. Daí para alguém criar um avatar que refletisse o SO e a comunidade estendesse a brincadeira para outras plataformas e gadgets, foi um pulo. O conceito agradou tanto que gerou filhotes de sucesso, como a série de games Hyperdimension Neptunia.

A Microsoft lançou um mascote oficial pela primeira vez com o Windows 7, mas até então essas OS-tans eram restritas a produtos somente japoneses. É a primeira vez que uma japinha de anime para um de seus produtos é pensada para o público mundial. Se vai dar certo não sei, mas com certeza vai chamar a atenção, mesmo que pouca.

Fonte: meiobit

Compartilhe