Bancos negociam para trazer Apple Pay ao Brasil

Os dois maiores bancos do Brasil já negociam com a Apple para trazer a solução de pagamentos da companhia ao país. De acordo com fontes ouvidas pela Época, Bradesco e Itaú chegaram a se reunir com a empresa da maçã, mas ainda não há data para a estreia do Apple Pay por aqui.

Na teoria, existe infraestrutura para que o serviço funcione no Brasil, porque só é preciso um aparelho como iPhone 6 ou 6 Plus e máquinas de pagamento compatíveis com NFC, tecnologia escolhida pela Apple para fazer a comunicação com os aparelhos e que está presente em quase 80% dos terminais da Cielo e da Rede – maiores fornecedoras dessas máquinas no Brasil.

A questão para nos bancos, que emitem os cartões de crédito e débito; são eles que precisam fazer as modificações finais para que o Apple Pay opere normalmente. As negociações só não devem caminhar rapidamente porque a alta demanda dos varejistas no Estados Unidos fez com que a própria Apple freasse a expansão da novidade para outros países.

Compartilhe

NIC.br oferece curso a distância de IPv6 para profissionais de rede

O NIC.br agora oferece uma versão de seus cursos de IPv6 usando a metodologia de EaD (Educação a Distância), por meio do CEPTRO.br (Centro de Estudos e Pesquisas em Tecnologias de Redes e Operações).

Antonio Moreiras, gerente da área de Projetos do NIC.br, esclarece que a oferta desses cursos foi ampliada por conta da proximidade do esgotamento do IPv4, prevista para 2014. “É necessário implantar o IPv6 nas redes e serviços corporativos, em especial naqueles expostos na internet, como sites, serviços de e-commerce, e-banking, e-gov, e-mail. Por isso criamos mais essa opção, agora em EaD “, observa.

Os cursos são indicados aos profissionais de redes de empresas ou instituições usuárias da internet, além de professores e estudantes da área, e terão duração de sete semanas. Haverá duas aulas online ao vivo, com duração de uma hora e meia cada, nas quais a participação é obrigatória.

Além disso, os participantes são orientados a ter cerca de 6 horas extras por semana para que possam estudar o material, realizar os exercícios teóricos, ter prática no laboratório virtual e participar das discussões por e-mail.

Se o aluno tiver 75% de presença nas aulas ao vivo e participação satisfatória nas demais atividades, receberá um certificado emitido pelo NIC.br. A primeira turma terá início no dia 7 de maio, e mais informações podem ser obtidas em http://ipv6.br/ead.

Fonte: computerworld

Compartilhe