Microsoft confirma suporte a extensões no navegador Spartan

A Microsoft parece finalmente estar perto da era moderna dos navegadores com o Spartan, codinome para o futuro browser da empresa que acompanhará o Windows 10. A equipe de desenvolvimento confirmou pelo Twitter que extensões estão nos planos para uma futura atualização do Spartan.

Hoje o Internet Explorer 11 já aceita alguns complementos, mas é algo diferente do que é possível encontrar nos concorrentes Chrome ou Firefox, . A intenção da Microsoft, segundo o site The Verge, é criar uma plataforma que permite que os desenvolvedores da Chrome Web Store façam o port de suas criações com mais facilidade para o novo navegador do Windows 10.

Até agora, a Microsoft apostava na tecnologia ActiveX, já consideravelmente ultrapassada, para ampliar as funcionalidades do Internet Explorer. Ao que tudo indica, a empresa está pronta para uma mudança radical.

Ainda não sabemos qual será o nome final do Spartan quando for lançado, mas a certeza é que a Microsoft quer distanciá-lo do Internet Explorer como conhecemos. O antigo navegador ainda deve ser distribuído com o Windows 10 por questões de retrocompatibilidade, mas o novo deve encabeçar os esforços da empresa com o novo sistema operacional.

O Spartan terá um novo motor de renderização chamado Edge, e vários outros recursos novos, como integração com a assistente Cortana, possibilidade de fazer anotações com rabiscos em telas de toque e comentários em uma página web, e um novo modo de leitura. Ainda não se sabe se ele será lançado para outras versões do Windows.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Conheça os recursos do Spartan, o novo navegador da Microsoft

O Spartan, codinome do novo navegador da Microsoft, já teve até algumas imagens vazadas, mas agora surgiram algumas novidades sobre a forma como ele deve funcionar.

O browser deve trazer alguns recursos inexistentes nos principais concorrentes, como antecipa o site The Verge. Um deles é a possibilidade de rabiscar na tela usando uma stylus em um display sensível ao toque em desktops, tablets, laptops ou celulares. Ao fazer isso, os rabiscos do usuário são salvos no OneDrive para que possam ser compartilhados com amigos ou acessados em qualquer browser de qualquer plataforma.

O Spartan também deve ser diretamente integrado com a assistente Cortana, nascida no Windows Phone, mas que deve se tornar parte importante de todo o ecossistema da Microsoft. De forma inteligente, ela será capaz de compreender o que é digitado na barra de endereços e, por exemplo, exibir o status de um voo que ela tenha reconhecido quando você digita o nome de uma companhia aérea.

Uma última novidade prevista para dar as caras no navegador é o gerenciamento de abas, permitindo a criação de grupos que podem, por exemplo, dividar abas de uso pessoal das de trabalho. O Spartan também teria suporte a temas customizáveis, mas aparentemente o suporte ao recurso foi removido na versão final que chegará ao Windows 10, mas pode reaparecer com uma atualização posterior.

Atualizações, inclusive, serão uma parte importante do browser, já que finalmente a Microsoft parece ter percebido que atualizar o navegador uma vez por ano não é suficiente, e não é satisfatório distribuir updates que necessitem de um reboot do computador. O Spartan será oferecido na Windows Store, o que possibilitará atualizações mais simples e rápidas.

Como já era previsto, o IE não deve morrer totalmente, e também deve estar presente no Windows 10 por questões de retrocompatibilidade. Porém, o Spartan passará a ser o navegador principal da empresa e do sistema operacional, disponível para PCs, tablets e celulares e com uma experiência similar em todas as plataformas.

Contudo, ele ainda não será um dos aplicativos universais do Windows 10. Ele será oferecido como um app “Metro” e um programa desktop comum, mas ambos devem ser atualizados de forma conjunta e com os mesmos recursos.

Tudo isso deve se confirmar (ou ser desmentido) no dia 21 de janeiro, quando a empresa convocou uma coletiva para apresentar as novidades do Windows 10 para consumidores. Lá devemos saber se o codinome Spartan será mantido no produto final, ou se ele será apenas uma nova versão completamente modificada do IE.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe