Juiz que bloqueou WhatsApp será investigado por abuso de autoridade

O juiz Marcel Maia Montalvão, da Vara Criminal de Lagarto (SE), que determinou o bloqueio do aplicativo WhatsApp na última segunda-feira, 2, será investigado por abuso de autoridade.

A corregedora nacional de Justiça, ministra Nancy Andrighi, instaurou uma reclamação disciplinar e o órgão vai investigar se Montalvão cometeu abuso de autoridade ou se extrapolou sua jurisdição ao dar a decisão que afetou todos os usuários do aplicativo de troca de mensagens no país.

De acordo com a Revista Conjur, o juiz terá 15 dias para prestar informações ao Conselho Nacional de Justiça.

A decisão de suspender o funcionamento do aplicativo de comunicação em todo o território nacional foi duramente criticada, principalmente por prejudicar os usuários do serviço. O aplicativo foi liberado na terça-feira, 3, pelo desembargador Ricardo Múcio Santana de Abreu Lima, do Tribunal de Justiça de Sergipe, que aceitou o pedido de reconsideração do WhatsApp.

Vale lembrar que Montalvão também determinou a prisão do vice-presidente do Facebook na América Latina, Diego Dzoran, no início de março. No entanto, o executivo foi solto no dia seguinte por decisão do desembargador do Tribunal de Justiça de Sergipe Ruy Pinheiro, que considerou que houve coação ilegal.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Criador do WhatsApp: Não vamos por a segurança de 1 bilhão em risco

Jan Koum, um dos criadores do WhatsApp, afirmou nesta terça-feira (3) que “mais uma vez milhões de brasileiros inocentes são punidos por causa de um tribunal que quer o WhatsApp ceda informações que nós repetidamente já dissemos que não temos”.

Em uma publicação no Facebook, ele comentou a decisão da Justiça de Sergipe que ordenou às grandes operadoras de celular que bloqueassem o acesso ao aplicativo de mensagens por 72 horas a partir das 14h desta segunda.

Koum afirmou ainda que a equipe da empresa está trabalhando para reativar o serviço no país. Ele afirmou que o app de bate-papo já não guarda o histórico de mensagem de seus usuários e recentemente ganhou um recurso de criptografia ponta-a-ponta, que fortalece a privacidade do serviço.

O executivo sugeriu que atender aos pedidos da Justiça brasileira colocaria em risco a segurança não só dos usuários brasileiros mas de todas as pessoas adeptas ao serviço no mundo todo.

Nesta segunda, o WhatsApp informou que mais de 100 milhões de brasileiros mandam e enviam mensagens pelo app. Isso equivale a cerca de 10% do 1 bilhão de usuários que a ferramenta de comunicação de propriedade do Facebook possui no mundo todo.

Veja íntegra da publicação de Jan Koum:

“Mais uma vez milhões de brasileiros inocentes são punidos por causa de um tribunal quer que o WhatsApp ceda informações que nós repetidamente já dissemos que não temos. Nós não só criptografamos as mensagens de ponta-a-ponta no WhatsApp para manter as informações das pessoas seguras e a salvo, como nós também não mantemos o histórico do chat nos nossos servidores. Quando você envia uma mensagem criptografada de ponta-a-ponta, ninguém mais pode lê-la –nem mesmo nós. Enquanto nós estamos trabalhando para fazer o WhatsApp voltar a funcionar o mais rápido possível, nós não temos a intenção de comprometer a segurança de bilhões de usuários em todo o mundo”

Fonte: G1

Compartilhe

Justiça determina bloqueio do WhatsApp no Brasil por 72 horas

A Justiça mandou as operadoras de telefonia fixa e móvel bloquearem o serviço de mensagens instantâneas WhatsApp em todo o país por 72 horas. A medida começará a valer a partir das 14h desta segunda-feira (2). A decisão, de 26 de abril, é do juiz Marcel Montalvão, da comarca de Lagarto (SE).

O processo que culminou na determinação de Montalvão é o mesmo que justificou, em março, a prisão de Diego Dzodan, vice-presidente do Facebook, empresa dona do app, para a América Latina. O magistrado quer que a companhia repasse informações sobre uma quadrilha interestadual de drogas para uma investigação da Polícia Federal, o que a companhia se nega a fazer.

As cinco operadoras —TIM, Oi, Vivo, Claro e Nextel— já receberam a determinação e informaram que vão cumprir. Em caso de descumprimento, estarão sujeitas a multa diária de R$ 500 mil. Procurado, Montalvão não vai falar sobre o assunto. WhatsApp e Facebook ainda não se pronunciaram sobre o tema.

Consultadas, as operadoras afirmam que irão cumprir a decisão e ainda estudam se vão entrar com recurso judicial para tentar derrubar o bloqueio. O Sinditelebrasil, associação que representa o setor, está acompanhando esse processo junto às teles e ainda não definiu de que forma o setor irá se posicionar.

Apesar de as teles e o aplicativo travarem uma disputa comercial, o bloqueio é um transtorno para as operadoras. O WhatsApp funciona com mudança de registro de computadores e isso torna o trabalho de bloqueio bastante complicado para as teles, que podem ser punidas caso não consigam implementar o bloqueio plenamente.

Da última vez, a Claro foi uma das operadoras que reclamou de que o WhatsApp se valia desta particularidade técnica do serviço para furar o bloqueio intencionalmente. O aplicativo teria mudado rapidamente os registros para dificultar o bloqueio.

HISTÓRICO

Uma medida do início de abril deve dificultar ainda mais a colaboração do aplicativo com a Justiça. O WhatsApp adotou a criptografia “end-to-end” (no qual apenas as pessoas na conversa podem ler as mensagens -nem mesmo as companhias podem acessar a comunicação) em todos os seus aplicativos e em mensagens e tipos de arquivos.

Em dezembro, o WhatsApp havia sido bloqueado no Brasil por 48 horas devido a uma investigação criminal. Na ocasião, as teles receberam a determinação judicial com surpresa, mas a decisão não durou 48 horas.

O bloqueio foi uma represália da Justiça contra o WhatsApp por ter se recusado a cumprir determinação de quebrar o sigilo de dados trocados entre investigados criminais. O aplicativo pertence ao Facebook.

Em fevereiro, um caso parecido ocorreu no Piauí, quando um juiz também determinou o bloqueio do WhatsApp no Brasil. O objetivo era forçar a empresa dona do aplicativo a colaborar com investigações da polícia do Estado relacionadas a casos de pedofilia.

A decisão foi suspensa por um desembargador do Tribunal de Justiça do Piauí após analisar mandado de segurança impetrado pelas teles.

Fonte: Folha de São Paulo

Compartilhe

Agora você pode enviar documentos do Office via WhatsApp

Se antes você precisava fazer um malabarismo para enviar arquivos dos formatos mais conhecidos do Microsoft Office via WhatsApp, buscando uma forma de convertê-los para PDF e copiando e colando de um lugar para outro, agora tudo ficou mais fácil.

O app ganhou, com sua atualização para a versão 2.16.24 – disponível para Android em formato apk no site do aplicativo e em atualização direta para iOS na App Store –, uma função de envio direto de documentos Word, Excel e PowerPoint, seja da memória do aparelho ou de serviços de armazenamento em nuvem, como o Google Drive, por exemplo.

O documento pode ser enviado direto da memória do smartphone ou de plataformas de armazenamento em nuvem, como iCloud, Google Drive e outros

As últimas atualizações do app vêm focando cada vez mais na melhoria da funcionalidade de envio de arquivos, como já acontece no rival Telegram. É importante ressaltar que você precisa de um aplicativo que seja capaz de abrir os documentos dos formatos Office.

Fonte: Tecmundo

Compartilhe

WhatsApp começa a liberar ligações para usuários do iOS

A versão 2.12.1 do Whatsapp para iOS já está disponível para iPhones, basta fazer a atualização ou baixá-lo na loja de aplicativos da Apple. A nova versão permite que usuários efetuem ligações online entre si, opção já disponível oficialmente para o sistema Android desde o começo do mês.

Embora o recurso já esteja ativo no novo layout do aplicativo, ele será disponibilizado a funcionalidade aos poucos, priorizando grupos de usuários acostumados a testar mudanças na plataforma. A previsão é de que todos possam efetuar as ligações no decorrer das próximas semanas.

Outras melhorias implementada na atualização são os novos mecanismos de compartilhamento de conteúdo, acesso rápido à câmera e um novo layout, que torna o acesso e edição aos contatos mais rápido e fácil.

Também foi habilitada a possibilidade de desativar a confirmação de leitura de mensagens. O que não existe ainda, no entanto, é a capacidade de usar o WhatsApp Web pelo PC.

Clique aqui para baixar a nova versão do app

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Já experimentou o Dubsmash? App virou febre nos últimos dias

É muito provável que sua timeline tenha sido inundada por vídeos curtos com dublagens engraçadas (algumas nem tanto) onde seus amigos interpretam frases que viralizaram na internet ou na televisão. A responsável por isso é a desenvolvedora de aplicativos Mobile Motion GmbH, que desde o começo de Abril disponibilizou o aplicativo “Dubsmash” para sistemas iOS no App Store.

Entretanto, o app só alçou o sucesso maciço na redes sociais quando foi disponibilizado para dispositivos Androids no dia 27 de março. Desde então, só no Google Play, já registrou mais de 20 milhões de downloads.

A grande sacada do Dubsmash é utilizar um algoritmo conhecido dos editores profissionais de vídeo que sincroniza a gravação de um áudio com o movimento da boca de um personagem em uma gravação. Então, mesmo que o usuário não tenha aptidões de dublagem, a sincronização automática do app dá uma força.

Se o resultado for satisfatório, o video pode ser compartilhado no Messenger, WhatsApp ou salvo na galeria de imagens do smartphone. O app não funciona como uma rede social, então o processo de compartilhamento do conteúdo precisa ser feito manualmente.

Além das mais ouvidas, o aplicativo também oferece diversas outras dublagens com temas, na sua maioria em inglês, separados por categorias. “Love”, por exemplo, reúne grandes frases do cinema, televisão e internet que falam sobre amor. Já “Animals”, como o nome diz, reúne sons de animais de diversas espécies.

Também é possível fazer uploads ou gravações de sons ou frases que você gostaria de dublar mas não encontrou no acervo do sistema. Para essa opção, é preciso fazer um cadastro no aplicativo.

O canal Dubsmash Brasil no YouTube reúne as principais dublagens que estão fazendo sucesso na web. E você? Já entrou na onda do Dubsmash?

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Ligações chegam oficialmente ao WhatsApp para Android

Não é mais necessário esperar até um contato te ligar pelo WhatsApp para ter a função no seu aparelho. Ao menos no Android, a novidade já está disponível a todos os usuários.

O recurso foi lançado junto com a versão 2.12.5, que, conforme notou o The Next Web, pode ser baixada pela Google Play. Também é possível encontrá-la no site oficial do WhatsApp.

Ao instalar o novo app, o usuário notará uma alteração de layout que inclui um menu superior com links para chamadas, conversas e contatos. Tudo isso chegará ao iOS em breve.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Contra WhatsApp, Viber libera ligações de graça para fixos no Brasil

Contra a popularidade do WhatsApp Messenger, o Viber está liberando ligações para telefones fixos no Brasil. O aplicativo de comunicação multiplataforma anunciou que está disponibilizando para os usuários brasileiros a opção de fazer ligações para os telefones fixos nacionais sem custo no mensageiro. A novidade é uma promoção lançada graças ao aumento dos downloads recentemente.

Corrente falsa diz que WhatsApp virou What’sBook e será cancelado

viberSegundo a página Viber Brasil no Facebook, há quatro dias (justamente período em que o grande concorrente WhatsApp foi comprado pelo Facebook e ficou fora do ar por algum tempo por causa de uma falha no roteador) o número dos downloads do serviço no Brasil aumentou 1000% e a quantidade de mensagens enviadas também cresceu bastante: 400%.

WhatsApp: como ver o histórico de mensagens?

Basta escolher um número da agenda, selecionar “Viber Out”, serviço de ligações, e falar de graça. Não é preciso inserir código promocional ou ativar algum tipo de novo recurso. E segundo o Viber, esta é só a primeira de muitas ofertas que poderão continuar acontecendo nas próximas semanas.

“Agora vem a melhor parte: se a cada semana o volume de mensagens de texto trocadas no Viber aumentar 25%, a gente vai prorrogar para mais uma. E podemos prorrogar mais e mais se o volume continuar aumentando”, diz o post do Viber Brasil no Facebook.

O Viber tenta se firmar no mercado e conter o avanço do WhatsApp, que no MWC 2014, anunciou que irá lançar chamadas de voz ainda durante este ano. Um fato interessante é que o próprio Viber também foi comprado recentemente, pela gigante japonesa Rakuten, em acordo de US$ 900 milhões.

Fonte: Techtudo

Compartilhe

Facebook compra WhatsApp por US$ 19 bilhões, WhatsApp diz que nada vai mudar

Por essa ninguém esperava. Enquanto o Rakuten Group juntou uns tostões e adquiriu o Viber há uma semana atrás por US$ 900 milhões, o Facebook chuta o pau da barraca e compra o WhatsApp, o aplicativo líder em mensagens instantâneas pela cifra absurda de DEZESSEIS DEZENOVE BILHÕES DE DÓLARES! Segundo o anúncio feito pelo Facebook, o negócio será fechado com o pagamento de US$ 4 bilhões em dinheiro, US$ 12 bilhões em ações da companhia e mais US$ 3 bilhões para manter os funcionários da startup. Isso representa um negócio 21 vezes maior do que o que envolveu o Viber!

O que motivou esse investimento indecente de dinheiro no WhatsApp é muito provavelmente o grande número de usuários. Atualmente ele possui mais de 400 milhões de usuários, com cerca de 70% do total ativos. A quantidade de mensagens enviadas é insana: em junho o app havia registrado um total de 27 bilhões de mensagens compartilhadas num período de 24 horas, podendo estar se aproximando ou já ter ultrapassado o número total de SMS compartilhados por dia (para se ter uma ideia em 2010 foram enviados 6,1 trilhões de torpedos, o que dá uma média de 16,7 bilhões por dia).

Com a aquisição, o co-fundador e CEO do WhatApp Jan Koum passa a fazer parte do grupo de diretores do Facebook. Ele e o outro co-fundador Brian Acton eram engenheiros do Yahoo! antes de decidirem criar o app. Se analisarmos bem o modelo de negócios do WhatsApp, onde o app é vendido por US$ 0,99 no iOS e possui uma taxa anual d mesmo valor no Android e considerando a quantidade de usuários regulares, não dá para imaginar que Mark Zuckerberg vá mexer na aplicação.

20140219facebook-instagram

Por outro lado, há algo a se considerar nessa história. Da mesma forma que Zuck pagou um bilhão pelo Instagram em busca de código fresco, fica um tanto evidente que ele desembolsou tanta grana pelo WhatsApp pelo grande número de usuários. Em nota publicada no blog do WhatsApp, a empresa afirma que “nada mudará” e que o app continuará autônomo, mas é difícil acreditar nisso. Mark Zuckerberg disse numa postagem que Facebook e WhatApp são diferentes demais, cada um direcionado a uma realidade: se comunicar com amigos próximos ou todos os seus amigos e seguidores.

A nota oficial do Facebook ressalta que o WhatsApp se aproveitará da expertise e estrutura do Facebook para crescer tal qual o Instagram, sem sofrer interferência. Eu espero realmente que seja assim, mas como se trata do Facebook, pode-se esperar qualquer coisa.

UPDATE: diferente do anunciado anteriormente, o negócio foi fechado em US$ 19 bilhões e não US$ 16 bi, sendo que os US$ 3 bilhões de diferença serão utilizados para manter os funcionários. O texto foi atualizado para incluir essa informação.

Fonte: meiobit

Compartilhe

Twitter se prepara para competir com WhatsApp

Liberar a troca de DMs (mensagens diretas) entre usuários que não se seguem foi o primeiro passo para uma nova empreitada do Twitter. Segundo o AllThingsD, a rede de microblogs prepara uma ferramenta que permitirá a troca de mensagens instantâneas.

ttt

A ideia é entrar num mercado já dominado por aplicações como WhatsApp, Line, Skype etc., cuja ascensão forçou operadoras e empresas como Facebook a lançarem funções semelhantes.

Três pessoas “familiarizadas com o assunto” informaram sobre o assunto, mas o Twitter se recusou a falar. E não ficou claro se surgirá um app separado ou se o próprio Twitter carregará a nova funcionalidade. Seja como for, a novidade sai até o final do ano.

Fonte: Olhar Digital.

Compartilhe