Google lança Project Fi e se torna operadora de telefonia nos EUA

O Google anunciou hoje o Project Fi, seu serviço de telecomunicações, limitado aos Estados Unidos e para usuários do Nexus 6, por enquanto. Em seu blog, o Google diz que seu trabalho no Project Fi pretende fazer para as telecomunicações o mesmo que a linha Nexus de dispositivos móveis fez para o hardware de tais aparelhos.

O serviço

O objetivo do projeto é “tirar a tecnologia do caminho para que você possa se comunicar por meio de qualquer tipo de rede ou dispositivo que você estiver usando”. O serviço seleciona automaticamente a melhor rede para o usuário (que pode ser um hotspot WiFi ou uma rede LTE 4G) com base em sua localização.

Por meio de parceria com as operadoras T-Mobile e Sprint, o Project Fi oferece mais de uma opção de rede 4G, e conecta o dispositivo do usuário à que possui melhor sinal naquela situação. Segundo o Google, será possível, por exemplo, realizar uma ligação por WiFi e, ao sair do alcance daquela rede, transferir a ligação para a rede de celulares sem nenhum tempo perdido.

Além disso, o Project Fi também hospeda seu número de telefone na nuvem. Com isso, é possível acessar e utilizar plano de dados vinculado ao seu número de celular de qualquer smartphone, tablet ou computador, o que permitirá que usuários sigam usando suas linhas mesmo caso percam seus aparelhos. Ou seja: você pode usar o seu número telefônico em qualquer dispositivo compatível com o Google Hangouts.

Modelo de negócios

Atualmente, a empresa oferece um plano “modular” de serviços para seus usuários: um pacote inicial de US$ 20, que dá direito a ligações e mensagens ilimitadas, mais US$ 10 por cada Gigabyte de dados utilizados. Caso o usuário adquira um plano para 3GB de dados e use apenas 1,4GB, ele receberá de volta o valor correspondente aos dados não utilizados (no caso, US$ 16).

A restrição a apenas smartphones Nexus 6 (por enquanto), acontece porque o aparelho, desenvolvido pelo Google em parceria com a Motorola é o primeiros com o hardware e o software adequados para se adaptar ao serviço. Por ora, a empresa oferece cobertura apenas em algumas regiões dos Estados Unidos (veja aqui o mapa). É possível solicitar um convite para o programa de acesso antecipado do serviço no site do Project Fi. Veja mais sobre o serviço no vídeo abaixo (em inglês):

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Pesquisadores testam sistema de internet Wi-Fi aquática

Uma equipe de pesquisadores nos Estados Unidos está testando uma rede Wi-Fi aquática, com o objetivo de criar uma internet submarina. O time, da Universidade de Buffalo, em nova York, afirma que o objetivo é que a tecnologia possa detectar tsunamis, com melhores sistemas de avisos.

A pesquisa planeja criar um novo padrão de comunicações submarinas, para facilitar a propagação dos dados. A diferença entre a novidade é o Wi-Fi comum é que, enquanto o roteador da sua casa usa ondas de rádio, a rede submersa utilizaria ondas sonoras.

imagem

As ondas de rádio penetram na água, mas tem o alcance e estabilidade limitados. Já as sonoras são melhores para utilização aquática, como mostram várias espécies marítimas, como baleias e golfinhos, que se comunicam embaixo d’água com ondas de som.

“Uma rede submersa sem fio nos dará uma habilidade sem precedentes de coletar e analisar dados do oceano em tempo real”, afirma Tommaso Melodia, chefe da equipe de pesquisa.

“Tornar esta informação disponível para qualquer pessoa com um computador ou smartphone, especialmente quando um tsunami ou outro tipo de desastre acontece, pode ajudar a salvar vidas, explica ele.

Fonte: Olhar Digital

Compartilhe

Atualização do iOS traz problemas de bateria e WiFi

O iOS 6.1.3 foi lançado no início deste mês com a proposta de resolver algumas falhas de segurança nos dispositivos móveis da Apple. A atualização cumpriu a promessa, mas trouxe outros problemas para os proprietários de iGadgets.

Algumas pessoas reportaram que, logo após instalar o update, a bateria do aparelho passou a se esgotar muito mais rápido que antes. Além disso, os sistemas passaram a apresentar problemas com as conexões WiFi e Bluetooth.

Para piorar a situação, medidas antes funcionais, como restaurar as configurações de fábrica ou desativar as notificações, não surtem mais efeito na hora de tentar resolver a situação.

A Apple está ciente do problema

Os problemas com a carga da bateria vieram com o iOS 5. Desde lá, a Maçã tem se prontificado a lançar atualizações constantes para resolver os problemas. A situação com o WiFi chegou com o iOS 6 e foi resolvida com o iOS 6.1.2. Infelizmente, parece que o novo update trouxe o problema de volta.

A Apple está ciente desses problemas e já está trabalhando para resolver a situação o mais rápido possível. Enquanto uma nova atualização para o iOS não é disponibilizada, a empresa oferece uma página de suporte a todos que estejam enfrentando problemas.

Fonte: tecmundo
Compartilhe

Facebook ativa ligações gratuitas pelo Messenger no Brasil

No começo de janeiro o Facebook começou a testar a funcionalidade de ligações entre seus usuários por meio do seu aplicativo Facebook Messenger, disponível para Android e iOS. Essa opção estava disponível para um grupo pequeno de usuários, e todos no Canadá ou nos EUA. Hoje o Facebook ativou as ligações gratuitas para usuários do Brasil.

Ligação gratuita no Facebook: operadoras, tremei?

A informação é de Thiago Hirai, Engenheiro de Software do Facebook que ajudou a desenvolver essa funcionalidade. Segundo um post no seu perfil no site, essa opção foi ativada hoje e está disponível para 95% dos usuários dos aplicativos do Facebook no Brasil.

Para fazer ligações basta selecionar um contato na lista no Facebook Messenger, tocar no ícone ‘i’ no canto superior direito do perfil e selecionar a opção “Free Call”. Essa opção só estará ativa se ambos os usuários tiverem a versão mais recente do Facebook Messenger para iOS ou Android.

Testei a ligação gratuita com alguns amigos e a qualidade de áudio é comparável com a de uma ligação comum pela rede GSM. No caso do aplicativo do iOS, o aviso de ligação recebida é uma notificação comum, como do Skype, e ele age da mesma maneira quando está em segundo plano, exibindo uma barra vermelha na parte superior da tela. O aplicativo permite fazer ligações tanto via WiFi quanto por conexão 3G.

Já faz algum tempo que o Facebook permite ligações de vídeo entre seus usuários pela versão desktop do site, com uma ajudinha do Skype em termos de conexão. Mas é a primeira vez que a opção de ligação de voz gratuita pelo Facebook Messenger está disponível para membros brasileiros da rede social.

Quem quiser testar, pode baixar o Facebook Messenger na iTunes App Store ou no Google Play.

É necessário ter um número de celular cadastrado no perfil do Facebook para que a opção apareça.

Fonte: tecnoblog

Compartilhe

Tecnologia pessoal Amazon inicia venda do Kindle Paperwhite no Brasil

São Paulo – A Amazon inicia, nesta terça-feira (19), as vendas do Kindle Paperwhite no Brasil, o mais avançado leitor de livros eletrônicos da companhia americana. Além do Paperwhite, está disponível no país apenas o modelo antigo do leitor, chamado simplesmente de “Kindle” e comercializado por 299 reais.

Segundo Alex Szapiro, vice-presidente da Amazon para Kindle no Brasil, o novo modelo Paperwhite foi desenhado para usuários que leem muitos livros, definidos por ele como “heavy readers”.  “É um e-reader que permite ao usuário ler no claro, no escuro e por longas horas sem se sentir cansado”, afirma Szapiro.

Entre as evoluções do Paperwhite em relação ao Kindle já vendido no Brasil está a tela sensível ao toque capacitiva e a existência de um só botão físico, para ligar e desligar o aparelho.  Além disso, o Paperwhite estreia o recurso de iluminação frontal do leitor, o que permite ao usuário ler no escuro ou compensar a iluminação ambiente ajustando o brilho da tela. As versões anteriores do Kindle não possuem iluminação própria.

Ao contrário de um tablet, em que as lâmpadas de LED iluminam a tela lançando a luz na direção do olhar do usuário, o Paperwhite usa uma tecnologia patenteada pela Amazon que projeta o fluxo luminoso lateralmente.  “Por trás da tela do Paperwhite há uma fibra óptica esticada, que ilumina o leitor de forma lateral, com o objetivo de não cansar os olhos do usuário”, diz Szapiro.

No Brasil, o modelo Wi-Fi do Paperwhite custará 479 reais, já a versão com suporte a redes 3G custará 699 reais. Este último modelo permite ao usuário baixar livros a partir de qualquer local com sinal de rede móvel sem a necessidade de pagar pela conexão. “Em sessenta segundos você baixar qualquer livro pela conexão 3G”, diz Szapiro.  O 3G, no entanto, permite apenas o download de livros e o acesso a sites restritos, como a Wikipedia e alguns dicionários online.

Atualmente, os modelos Kindle estão à venda em quiosques físicos da Amazon em shoppings de São Paulo e Rio de Janeiro, nas unidades da Livraria da Vila além de parceiros de e-commerce, como a loja online do Ponto Frio.

De acordo com o executivo da Amazon, a companhia deve estrear no país até o final deste ano também a venda do modelo Fire, que funciona como um tablet e se tornou um dos eletrônicos mais vendidos do mercado americano em 2012, impulsionando o mercado a produzir competidores com tela de sete polegadas, tamanho explorado pelo Kindle Fire. Nos Estados Unidos, a Amazon vende 4 modelos do Fire, com telas de 7 e 8.9 polegadas e resolução regular ou HD. “Ainda este ano estreamos os modelos Fire no Brasil”, diz Szapiro.

Um dos responsáveis pela demora no lançamento do Fire no Brasil pode ser a dificuldade da Amazon em fechar parcerias com produtores de vídeos e música ou licenciar os acordos que já possui nos Estados Unidos para o mercado brasileiro.  Além da estreia do Fire, há muitos rumores sobre o início da operação de e-commerce da Amazon no Brasil. “São rumores e sobre isso não tenho nada a comentar”, diz Szapiro.

Fonte: info

Compartilhe